Com uma diferença de mais de seis mil votos, José Carlos Moura, ex-democrata, se elege prefeito pelo Partido dos Trabalhadores.

Numa seqüência de manifestações favoráveis a José Carlos Moura e denominada pela população de Mar Vermelho, teve início uma acirrada disputa entre o petista e o candidato do PMDB e prefeito da situação, Michel Hagge.

Contando com o apoio declarado do governador da Bahia, Jaques Wagner outdoor2(PT), que subiu ao palanque em seu último comício, Michel obteve um forte apoio a nível estadual, mas em contrapartida gerou uma série de revoltas na população. Tornou-se cena comum na cidade visualizar banners e outdoors com a foto do governador arrancada (veja na imagem ao lado).

A vitória de José Carlos Moura representou não só o desejo de 18.429 pessoas, mas também o surgimento de uma nova maneira de fazer política na cidade. Entre os vereadores eleitos, nove nunca exerceram nenhum mandato político. Durante a cerimônia de posse, os vereadores contaram com a presença um número considerável de eleitores. O vereador Romildo Teixeira (PDT) apesar de ter sido eleito com 854 votos, obteve enorme rejeição durante a cerimônia, recebendo freqüentes vaias por parte dos presentes. José Carlos Moura e seu vice Edilson Lima caminharam com dificuldade pelo Salão do Júri do Fórum, local da cerimônia de posse, devido ao carinho manifestado pela população.

Segundo o prefeito José Carlos Moura, Jaques Wagner falou com ele por telefone oferecendo total apoio à nova administração. “É preciso que o governador realize em Itapetinga, durante os próximos anos, aquilo que não realizou nos palanques durante a campanha”, desabafou o prefeito.

O antigo prefeito Michel Hagge, assim como sua vice Katia Espinheira, não compareceram a entrega dos respectivos cargos.