estradaPelo menos 500 mil pessoas devem deixar Salvador até a quinta-feira de Carnaval, de acordo com estimativas da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos da Bahia (Agerba). O órgão trabalha com a perspectiva de que 120 mil pessoas deixem a cidade pela rodoviária e outras 320 mil usando o ferryboat.

“Nos nossos cálculos também contamos com o pessoal que sai da cidade usando carro próprio”, afirma Vilan da Costa e Silva, diretor de qualidade de serviços da Agerba, a fim de justificar a estimativa de meio milhão de pessoas viajando no período.

Para atender a esta demanda, o número de horários de ônibus na rodoviária praticamente dobrou. Foram incorporados mais 540 horários, em relação ao período habitual, quando são registrados 520 horários. Silva ainda afirma que a Agerba está preparada para aumentar o volume de horários: “Mas acreditamos que no formato atual consigamos atender ao público”.

Ele acrescenta que, em relação ao sistema ferryboat, chegou o reforço de uma embarcação à frota, o Ipuaçu, que fecha a quota de sete barcos, que se revezarão a cada meia hora.

TRANQUILIDADE – A família Maia estava ontem na rodoviária, indo para Iaçu (275 km da capital). “A gente prefere a tranquilidade. Vamos passar este feriado com nossos parentes, num ambiente mais tranquilo”, diz Camila Maia, 19, telefonista.

A estudante Deiviane Nascimento, 20, praticamente “foge” do Carnaval para o município de Xique-Xique (577 km de Salvador), após ter passado por um assalto num ônibus. “O sujeito pegou um espetinho de churrasco e disse que iria abrir a minha garganta, se eu não desse a minha carteira. E isso foi num ônibus, com todo mundo olhando”, lamenta a estudante.

A dona-de-casa Marinalva Gomes, que também iria pegar estrada ontem, revela decepção com o Carnaval de Salvador, que, segundo ela, “prestigia blocos e trios, mas esquece o povo baiano e suas tradições”. Enquanto a dona-de-casa lamentava, a estudante Luana Neves seguia para Muritiba (a 114 km). “Sou pagodeira mesmo”, assume. “E o que tem aqui, tem lá também, não me importo”, diz a estudante.

Na manhã do sábado, o clima na rodoviária ainda era de tranquilidade, embora o movimento começasse a se adensar. Boa parte dos que deixavam Salvador eram turistas de outros Estados, em direção a outros roteiros Bahia adentro.

A Tarde