No Destacamento de Controle de Espaço Aéreo de Fernando de Noronha, os militares não estão autorizados a repassar informações sobre as buscas ao avião da Air France, que fazia o voo AF 447 e desapareceu na noite de domingo (31), após decolar do aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro.

Jornalistas vindos de todo o estado de Pernambuco já chegaram à ilha, mas o aeroporto local ainda não está preparado para receber todos os aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) e dados oficiais são repassados apenas pelo Centro de Comunicação Social da Aeronáutica em Brasília.

Nesta segunda-feira (1º), por volta de 13h30, o avião patrulha P-95 da FAB pousou na ilha para reabastecer e seguiu para as operações de busca do Airbus A330 da Air France. Ainda não há previsão de chegada de outras aeronaves. De acordo com militares, a pista de pouso funciona até o pôr-do-sol, mas pode ser liberada a qualquer momento se solicitados novos pousos pela FAB.

O Comando da Aernáutica informou nesta segunda-feira (1º) que os governos da França e dos Estados Unidos irão ajudar nas buscas ao airbus. A Espanha também prometeu ajuda, mas ainda não divulgou detalhes da operação. Do Brasil, já são cinco aviões e dois helicópteros deslocados para a busca.Três navios também auxiliam nas buscas.

A ajuda dos Estados Unidos será feita pela base do Panamá, enquanto o governo francês já deslocou uma aeronave para o local do acidente. “Quanto mais gente melhor porque a grande dificuldade é que o evento ocorreu no meio do Oceano Atlântico e não temos o ponto exato porque não aconteceu um reporte de emergência do acidente”, disse o vice-chefe de Comunicação Social da Aeronáutica, coronel Jorge Amaral.

A Força Aérea Brasileira (FAB) já mobilizou cinco aviões e dois helicópteros para a região. A Marinha irá cooperar no trabalho com três navios. Como as buscas são visuais, elas podem ser interrompidas no início da noite.

As bases brasileiras na operação estão montadas em Fernando de Noronha (PE) e Natal (RN). Um dos aviões envolvidos na busca estava em Las Palmas, na Espanha, e recebeu ordem para retornar. Ele está efetuando uma rota inversa a que seria a do vôo 447 da Air France.

De acordo com o Comando da Aeronáutica, o último contato por voz com o Airbus aconteceu às 22h33 (horário de Brasília). A previsão era de que o próximo contato aconteceu às 23h20 na região denominada Tasil, que fica a cerca de 1.200 km de Natal. Como o contato por meio eletrônico com a Air France informando a pane elétrica foi próximo ao horário em que o avião estaria nesta posição, decidiu-se começar as buscas por este local.
Globo.com