O Centro de Comunicação Social da Aeronáutica informou nesta terça-feira (2) que as buscas concentradas no Oceano Atlântico pelos destroços e possíveis vítimas da queda do Airbus 330-200 vão prosseguir durante toda a noite. O avião desapareceu após decolar do Rio de Janeiro no domingo (31) em direção a Paris, com 228 pessoas a bordo.

As buscas prosseguirão durante esta noite, inicialmente com o avião R-99 e, durante a madrugada, com as três aeronaves C-130 Hércules, de forma que no decorrer do dia de amanhã toda a área de busca seja coberta pelos observadores da aeronave”, destaca trecho da nota divulgada pela Aeronáutica.

Em entrevista coletiva no Rio de Janeiro, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, confirmou que o Airbus caiu sobre o Oceano Atlântico. Ele também afirmou que um avião Hércules da Força Aérea Brasileira (FAB) identificou diversos materiais em uma faixa de cinco quilômetros. O local fica dentro da área abrangida pelo arquipélago de São Pedro e São Paulo.

Na nota, a Aeronáutica confirma que foram avistados a cerca de 700 km ao norte de Fernando de Noronha (PE) destroços (peças brancas e fiação) e manchas de óleo que seriam do Airbus.

Segundo o ministro Nelson Jobim, as investigações técnicas sobre o acidente ficarão sob responsabilidade do governo francês. O Brasil ficará responsável pela busca de corpos, resgate de vítimas e destroços. Poderá ainda, caso acionado, auxiliar nas investigações.

A Aeronáutica acrescentou que dois membros do órgão de investigação de acidentes aéreos da França já estão no Brasil. Destacou também que os militares que trabalham nas buscas até agora não recolheram nenhum material avistado no Oceano Atlântico.

A retirada, segundo a Aeronáutica, será feita por embarcações da Marinha. O navio patrulha Grajaú deve chegar ao local dos destroços por volta das 18h de quarta-feira (3). Cerca de cem militares da FAB estão diretamente envolvidos nas operações de busca do voo 447 da Air France.
Globo.com