A Organização Internacional do Trabalho (OIT) elaborou um relatório em que pede aos governos da América Latina e do Caribe o desenvolvimento de políticas que permitam aos trabalhadores da região conciliar sua rotina profissional às tarefas domésticas cotidianas.

No documento, intitulado “Trabalho e Família: em direção a novas formas de conciliação com corresponsabilidade social”, a OIT sustenta que “é urgente” colocar em prática ações que “permitam a trabalhadores e trabalhadoras integrar da melhor forma suas responsabilidades familiares e laborais”.

O estudo, que também teve a participação de pesquisadores do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), insta os governos da região a adotarem estratégias para lidar com algumas das principais transformações percebidas nas sociedades contemporâneas.

Dentre estas mudanças, a OIT cita a “incorporação massiva das mulheres ao mercado de trabalho, o surgimento de novas formas precárias de emprego e o excesso de tarefas que hoje afeta as famílias, em especial as de menor renda”.

De acordo com a entidade, o processo requer a atuação de Estados, empresas, sindicatos e inclusive das próprias famílias.

“Atualmente, homens e mulheres dividem o sustento econômico de seus lares, mas não as responsabilidades, o que gera uma sobrecarga de tarefas e tensões para as mulheres”, diz o informe.
ANSA