Passados nove meses do ano, o governo da Bahia executou somente 24,86% (cerca de R$ 600 milhões) do total de investimentos em obras, reequipamento e outras ações, previstos para 2009 (R$ 2,520 bilhões) pelo orçamento do Estado.

Na Segurança Pública, por exemplo – segundo dados do Sistema de Informações Contábeis e Financeiras (Sicof) da Secretaria Estadual da Fazenda ( Sefaz) apurados até 21 de setembro – foram liquidados apenas 8,53% da rubrica de investimento estipulado para o ano (R$ 145.223 milhões).

A Secretaria do Turismo apresentou uma execução de somente 4,31% dos investimentos. A pasta da Agricultura liquidou 4,50%; Educação, 16,94%; Desenvolvimento Social, 18,44%; Trabalho, 7,76%; Desenvolvimento Urbano, 21,53%; Saúde, 41,18%; Infraestrutura, 31,03%; Indústria e Comércio; 19,17%.

Esses são alguns dos resultados da execução no que diz respeito a investimentos feitos pelo governo, que, já na média da execução geral do orçamento (de R$ 21,313 bilhões), até a referida data, liquidou despesas na ordem de R$ 12,161 milhões (57,06% do total).

A execução geral envolve, além dos investimentos, despesas com pessoal, custeio, encargos e amortização da dívida e transferências aos municípios. Na avaliação do diretor de assuntos econômicos do Instituto de Auditores Fiscais da Bahia (IAF), Sérgio Furquim, a baixa média de execução dos investimentos demonstra que a área foi a primeiro a sofrer com o que ele considera uma falta de ações do Estado para combater os efeitos da crise econômica mundial.
ATarde