Falta pouco mais de um mês para a estação mais quente do ano e com a chegada do verão, é preciso redobrar os cuidados com a pele, olhos, cabelo, alimentação e dengue. Isso mesmo! A estação do sol também é o período preferido pelo mosquito Aedes Aegypti e nessa época o número de casos de dengue cresce consideravelmente. Portanto, filtro solar na bolsa, boné na cabeça e cuidados redobrados com os possíveis focos da doença.

Dados do Ministério da Saúde revelam que o número de casos de dengue no estado em 2009 aumentou 203,4% em relação ao ano passado. Os números são assustadores e, para que a situação não fique ainda mais crítica, a palavra de ordem é a prevenção.

“Continuamos com nosso trabalho de rotina, mas com a proximidade do verão, estamos intensificando as ações, inclusive com a realização dos mutirões e a distribuição de capas protetoras para reservatórios de água, ambientes mais propícios a serem o criadouro do mosquito”, ressaltou a coordenadora do Programa Municipal de Combate a Dengue, Eliaci Costa.

Ela explicou que o verão é a estação mais propícia para a infestação da doença porque com as altas temperaturas o metabolismo do mosquito também aumenta, o que torna o inseto mais ágil e com maior capacidade de reprodução.

“Os sorotipos estão circulando, então não tem como evitar que as pessoas sejam contaminadas pela doença. Nosso objetivo é diminuir a incidência, principalmente no verão, quando a cidade está cheia de turistas que podem trazer novos sorotipos da doença”, reforçou.

Até 10 de outubro de 2009 foram notificados 115.026 casos de Dengue na Bahia, de acordo com a Secretaria Estadual da Saúde (Sesab), o que corresponde a um aumento de 147% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 46.529 casos.

Prevenção – Medidas simples, como não deixar reservatórios de água abertos nas residências, assim como vasos de plantas, garrafas peti e sacolas plásticas em vias públicas, são essenciais para que o número de casos diminua. De acordo com informações da coordenação do plano de contingência, os focos são encontrados, na maioria dos casos, dentro das residências. A prevenção ainda é o melhor remédio.

Sintomas – Vermelhidão da pele, que pode surgir no primeiro ou segundo dia, febre, prostração, diminuição da frequência dos batimentos cardíacos, o que acontece entre 30% a 90% dos casos e sangramentos (internos ou externos), são os sintomas mais frequentes da doença. No caso da dengue hemorrágica o corpo pode sofrer sangramento (interno ou externo).

Medicamentos não recomendados – Alguns medicamentos podem piorar o quadro clínico da dengue. Compostos por acido acetilsalisílico e antiinflamatórios não devem ser usados para quem tem os sintomas da moléstia, podendo agravar ainda mais o estado de saúde do paciente.
TribunadaBahia