novembro 2009
D S T Q Q S S
« out   dez »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

:: 22/nov/2009 . 23:30

STF “legisla” no vácuo da política

Enquanto os congressistas travam um embate em torno do Projeto de Lei da Câmara (PLC) 122, que criminaliza a homofobia e está para ser votado na Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado, o Judiciário “legisla” sobre os problemas sofridos pelos homossexuais no Brasil.

No vácuo legal, as agressões sofridas pelos homossexuais estão sendo tratadas na Justiça como dano moral e, quando há violência, lesão corporal. O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello diz que não percebe obstáculo para a aprovação do projeto:

– Discriminar uma pessoa pela sua opção sexual merece todo repúdio. É odioso. Segundo Mello, os homossexuais lesados pelo preconceito têm procurado a Justiça, mas como “não há crime sem lei”, a alternativa é buscar outros campos do direito.

:: LEIA MAIS »

Em Cartaz: Jogos Mortais VI

Da redação

Neste sábado, 21, “Jogos Mortais VI” foi outro filme que teve estreia em Vitória da Conquista, no final de semana.

Tobin Bell, Costas Mandylor e Mark Rolston são alguns dos atores presentes no longa, que é dirigido por Kevin Greutert.

Assista ao trailer:

:: LEIA MAIS »

Bode empata dentro de casa e título fica distante

Por Diêgo GomesFoto: Tribuna da Conquista

O Vitória da Conquista não aproveitou o mando de campo contra o Fluminense de Feira, nesse domingo, e empatou em 0 x 0 a primeira da final da Copa Governador do Estado 2009.

Com o resultado, o alviverde será obrigado a vencer por qualquer placar o jogo de volta no próximo dia 26/11, quinta feira, às 20h30, no estádio Alberto Oliveira (Jóia da Princesa), em Feira de Santana.

Curiosidade – O Fluminense não perdeu nenhuma partida longe de seus domínios entretanto, jogou quatro vezes dentro de casa nessa competição e perdeu duas, mais precisamente os dois últimos confrontos que fez.

O Lampião tupinambá da Bahia

O riso é estridente, quase debochado. Enquanto ri, Rosivaldo Ferreira da Silva, de 35 anos, chacoalha todo o corpo, a fileira de dentes de boi que carrega no pescoço e o cocar de penas na cabeça.

A irreverência e a simpatia contrastam com a descrição feita pela Polícia Federal das ações e do caráter de Rosivaldo, ou Cacique Babau, como ele é conhecido no sul da Bahia. Sobre a mesa do delegado federal Cristiano Barbosa, a pasta intitulada Dossiê Cacique Babau dá a dimensão das façanhas atribuídas a Rosivaldo.

São ao menos dez inquéritos, em cerca de 500 páginas, que incluem acusações de sequestro, furto, invasão de propriedade privada, incêndio criminoso, porte ilegal de armas, ameaça, formação de quadrilha.

Babau é um dos líderes do grupo de 3 mil pessoas que se autointitulam tupinambás, os primeiros índios com quem Pedro Álvares Cabral travou contato ao desembarcar em terras brasileiras. Desde 2004, ele e seu bando já invadiram 20 fazendas na região da Serra do Padeiro, localizada entre os municípios baianos de Ilhéus, Buerarema e Una.

:: LEIA MAIS »

Maternidade atrás das grades

IstoÉ

O pequeno e calmo G*, de apenas 9 dias, nem abre os olhos durante o passeio no colo da mãe, Carla, numa manhã de sol em um pátio de paredes cor-de-rosa. Y, 12 dias, mama com vontade, enquanto Francislaine acaricia o cabelo macio da filha recémnascida.

Sorridente e esperta, M.L., 1 ano e 2 meses, faz gracinhas para Wagnéia, que, em troca, enche a menina de beijos e abraços. Doces cenas entre mulheres e seus bebês, que remetem a um dia tranquilo num parque ou numa praça ensolarada.

Mas, na verdade, elas estão num lugar onde ninguém gostaria de criar um filho: um presídio. Por sorte, são detentas do Centro de Referência à Gestante Privada de Liberdade, em Vespasiano, região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais.

Inaugurada em janeiro, é a primeira unidade do País com condições dignas de receber presas com filhos de até 1 ano. Uma iniciativa que faz do Estado pioneiro de um movimento pela humanização dentro do sistema prisional brasileiro, abarrotado com cerca de 30 mil mulheres num total de 470 mil confinados.

O número de presas cresce 11% ao ano, enquanto o de homens aumenta a um ritmo de 4%. A expansão da população carcerária feminina trouxe o desafio evidente de lidar com cada vez mais detentas grávidas ou com filhos pequenos.

Com 47 mulheres acompanhadas de seus bebês, o Centro de Referência é livre de celas e grades nos seus quatro mil metros quadrados cercados por árvores. São alojamentos com até oito camas e oito berços, que permanecem de portas abertas, dando acesso à brinquedoteca, aos banheiros, à área para banho de sol, ao espaço com tevê. Nas paredes, fotos da família – inclusive de outros filhos – e desenhos de personagens infantis como decoração.

:: LEIA MAIS »

Vitória da Conquista precisa vencer para reverter vantagem do Fluminense



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia