O papa Bento XVI comentou que a cultura atual está sendo fortemente afetada “seja por uma visão dominada pelo relativismo e subjetivismo, seja por métodos e atitudes por vezes superficiais e até mesmo banais”.

O pronunciamento foi feito na audiência da manhã de hoje, quando o Pontífice esteve com representantes das Academias Pontifícias. De acordo com Bento XVI, esses problemas “danificam a seriedade da pesquisa e reflexão e, em consequência, também do diálogo, da confrontação e da comunicação interpessoal”.

O Papa disse ainda que é “urgente e necessário recriar as condições essenciais para uma real capacidade de aprofundamento no estudo e na pesquisa, para que se dialogue razoavelmente e se lute eficazmente contra as problemáticas, na perspectiva de um crescimento comum e de uma formação que promova o homem na sua integridade e completitude”.

O Pontífice explicou que uma oferta de valores e verdades, razões de vida e esperança que interessem a todos e sobretudo aos jovens, deve corresponder à falta de pontos de referência ideais e morais que prejudicam a convivência e a formação das próximas gerações.

Este compromisso deve ser particularmente “obrigatório” na formação dos sacerdotes — argumento da 14º sessão pública das Pontifícias Academias, ocorrida ontem e que teve como tema “A formação teológica do presbítero”.
ANSA