O projeto do São Paulo para a Copa do Mundo de 2014 sofreu um duro golpe na noite desta quarta-feira.

A Confederação Brasileira de Futebol anunciou que o estádio do Morumbi não está em condições de receber a abertura do torneio que será disputado no Brasil.

De acordo com o presidente da entidade, Ricardo Teixeira, a Fifa não considerou suficientes as alterações do projeto da casa são-paulina para a partida de abertura do Mundial. A infraestrutura da capital paulista não foi apontada como problema, mas sim questões técnicas do Morumbi. De acordo com Teixeira, a impressão é que “soluções paliativas” vêm sendo tomadas no projeto do estádio.

O presidente da CBF ressaltou que as exigências da Fifa para as sedes da abertura e do encerramento são maiores do que no caso de estádios que receberão outras fases da Copa. Ainda não foi confirmado qual campo será o escolhido para receber o primeiro jogo do Mundial no Brasil. Recentemente, Brasília e Belo Horizonte manifestaram interesse de abrir a competição.

As alterações nos projetos para a Copa de 2014 só serão permitidas até dia 3 de maio deste ano. Ou seja, resta pouco tempo para a diretoria são-paulina reverter a decisão da Fifa. Apesar disso, o presidente Juvenal Juvêncio emitiu nota oficial para reiterar sua confiança em receber o primeiro jogo do Mundial.

“Temos certeza de que o Morumbi atenderá a todas as exigências da Fifa para ser a abertura do Mundial de 2014. O São Paulo tem até o dia 3 de maio para entregar o projeto elaborado pelo escritório alemão GMP (Gerkan, Marg und Partner) que atende às últimas solicitações do Comitê Técnico da Fifa para que a maior cidade do país abrigue o primeiro jogo da Copa”, veiculou um trecho do comunicado.

A diretoria tricolor se apega aos recentes contatos com a Fifa para manter o otimismo em ter o Morumbi escolhido para a abertura do Mundial.

“Estamos confiantes de que seguimos no caminho certo pelo que nos foi relatado na última reunião em Zurique, no dia 9 de fevereiro, na visita dos inspetores da Fifa ao Morumbi, em 15 de março, e na entrevista coletiva concedida em 19 de março pelo secretário-geral Jeróme Valcke, que disse claramente que o projeto do Morumbi preenchia todos os requisitos pedidos pela entidade”, encerrou a nota de Juvenal Juvêncio.
IG