Em assembleia realizada às 14h desta quarta-feira, 28, os professores da Universidade Estadual da Bahia (Uneb) decidiram aprovar um indicativo de greve. Ainda sem data definida, a paralisação só irá ocorrer se o Governo não iniciar as negociações referentes à pauta de reivindicações da categoria. Os docentes fizeram uma paralisação de 24 horas nesta quarta, para discutir o assunto.

Na próxima semana, entre os dias 5 e 7 de maio, será a vez de as outras universidades estaduais (Uesc e Uesb) reunirem seus docentes para votar o indicativo de greve.

A decisão foi tomada após acerto de uma rodada de negociação entre os docentes, representantes da Secretaria de Educação (SEC) e da Secretaria de Relações Institucionais da Bahia (Serin).

Segundo a diretora do Sindicato Nacional dos Docentes do Ensino Superior (Andes), Maslowa Freitas, a negociação acontecerá na primeira semana de maio. Um futuro aumento salarial também teria sido prometido pelos representantes do governo, mas índices de reajuste não foram revelados.

Os professores reivindicam a incorporação das Condições Especiais de Trabalho (CET) aos seus salários, além de outros tópicos como progressão e promoção de carreira e regime de trabalho.
ATarde