A pré-candidata do PT à presidência da República, Dilma Rousseff, está à frente do pré-candidato do PSDB na corrida pelo Palácio do Planalto, José Serra, segundo nova pesquisa CNT/Sensus, embora o resultado ainda leve o pleito para um segundo turno. Se as eleições fossem hoje, a ex-ministra estaria com 35,7% contra 33,2% para o tucano. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais, o que permite interpretar o resultado também como um empate técnico.

Os dados, divulgados nesta segunda-feira (17) pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), foram apresentados ao eleitor por meio de uma lista com os 11 potenciais postulantes à sucessão de Lula. Neste cenário, a senadora licenciada Marina Silva (PV) aparece na terceira colocação, com 7,3%, seguida de José Maria Eymael (PSC), com 1,1%.

Na pesquisa espontânea, quando ao entrevistado não é apresentada uma lista de candidatos, Dilma também aparece na primeira posição, com 19,8%. Serra registra 14,4%. O presidente Lula, que pela legislação não pode disputar uma nova reeleição, é lembrado na terceira posição, com 9,7%, ao passo que Marina Silva tem 2,7% e o deputado licenciado Ciro Gomes (PSB), que teve sua pré-candidatura cancelada pelo próprio partido, registra 0,3%. Os que não souberam responder à pergunta atingem o patamar de 48,1%. É a primeira vez que a petista lidera a pesquisa no cenário espontâneo.

Quando apresentada uma lista com apenas os três principais candidatos, no entanto, a preferência do eleitor registra direção oposta. Serra lidera a preferência do eleitorado, com 37,8%. Dilma Rousseff ocupa a segunda posição, com empate técnico, e 37% dos votos. Marina Silva registra 8,0%. Em janeiro, data do último levantamento feito encomendada pela CNT ao instituto Sensus, Serra tinha 40,7%, Dilma aparecia com 28,5%, e Marina com 9,5%.

Em um eventual segundo turno no pleito de outubro, a ex-ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff venceria tanto José Serra quanto Marina Silva. Na disputa contra o ex-governador de São Paulo, venceria com 41,8% contra 40,5%. Na comparação com janeiro, quando tinha 37,1%, a petista cresceu mais de quatro pontos percentuais. Em sentido contrário, Serra decaiu quase os mesmos quatro pontos, passando de 44,0% para os atuais 40,5%.

Quando a disputa no segundo turno é contra Marina Silva, Dilma Rousseff venceria com longa margem de vantagem, alcançando 51,7% contra 21,3%.

José Serra só venceria um eventual segundo turno caso disputasse contra a ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva. Neste caso, o tucano atingiria 50,3% contra 24,3% da pré-candidata do Partido Verde.

Limite de voto
A pesquisa CNT/Sensus mediu ainda o chamado limite de voto de cada eleitor. Neste cenário, Dilma Rousseff seria a “única” em quem se votaria para 26,6% do eleitorado. No levantamento, 33,4% informaram que poderiam votar na petista, ao passo que 26,1% disseram que não dariam seu voto a ela. No caso de Serra Serra, ele seria o “único” a ser votado por 25,7%. No limite de voto, 35,8% afirmaram que poderiam votar nele e outros 29,5% declararam que não votariam no ex-governador de São Paulo.

Quando comparado com janeiro, o limite de voto de Dilma cresceu mais de oito pontos percentuais na categoria de “o único em quem votaria”, ao passo que o desempenho de Serra foi ainda maior, com alta de mais de dez pontos percentuais quando questionado qual o único candidato em quem votaria em outubro.

Governo Lula
De acordo com a pesquisa, a avaliação positiva do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva subiu para 76,1% em maio, contra 71,4% regsitrado em fevereiro. A pesquisa CNT/Sensus foi realizada entre os dias 10 e 14 de maio com 2 mil entrevistas em 136 municípios.
Terra