A presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, irá liderar nesta terça-feira uma série de cerimônias em comemoração aos 200 anos da Independência do país, as quais serão assistidas por chefes de Estado e de Governo da América Latina.

Está previsto para a mandatária assistir ao tradicional Te Deum da independência na Basílica de Luján, localizada a 60 quilômetros a oeste de Buenos Aires. A cerimônia será dedicada à Nossa Senhora de Luján, padroeira dos argentinos.

Comparecerão à cerimônia o chefe de Governo da capital, Mauricio Macri, e o vice-presidente do país, Julio Cobos, ambos de oposição ao governo. Por volta das 17h locais (mesmo horário em Brasília), Cristina receberá o cumprimento de seus pares estrangeiros. Depois, irá inaugurar uma mostra denominada “Galeria dos Patriotas Latino-Americanos do Bicentenário”, onde fará um discurso em rede nacional.

À noite, na Casa Rosada (sede do governo argentino), haverá um jantar de gala, oferecido a diversos mandatários latino-americanos, entre eles Luiz Inácio Lula da Silva (Brasil), Evo Morales (Bolívia), Hugo Chávez (Venezuela), Fernando Lugo (Paraguai), Sebastián Piñera (Chile), Rafael Correa (Equador) e José Mujica (Uruguai).

Alguns líderes já estão na Argentina, enquanto outros, como Lula e Lugo, devem chegar hoje, por volta do meio dia, e regressar aos seus respectivos países ainda nesta noite.

As festividades desta terça-feira encerrarão os cinco dias de eventos no país em comemoração aos 200 anos da Revolução de Maio, que levou à independência argentina.

Desde a última sexta-feira, os cidadãos argentinos puderam assistir a desfiles, exposições, show, sendo que um deles contou com a apresentação do cantor Gilberto Gil, comidas típicas e atividades culturais.
ANSA