No terceiro dia da série de entrevistas com candidatos ao governo do estado, o BATV recebeu nesta quarta-feira (18) o candidato do Partido Verde, Luiz Bassuma.

O tempo de entrevista foi de cinco minutos, com tolerância de 30 segundos. Confira abaixo:

BATV – Uma pesquisa do Jornal Nacional mostra que apenas 3% do eleitorado se preocupa com as questões ligadas ao meio ambiente. O senhor acha que esse é um fator que tem interferido na baixa pontuação da sua candidatura?
Luiz Bassuma – Eu acho que não, essa não é a razão porque o mundo está despertando aceleradamente para essa necessidade de mudar o modelo de desenvolvimento, que é possível, hoje tem tecnologia, tem dinheiro, basta ter vontade política para você poder aliar crescimento econômico, que é necessário, com a defesa, ou seja, a proteção da natureza.

De que adianta tanto cimento, tanto carro, se você destruir as nascentes, destruir as florestas. A sociedade está despertando aceleradamente para isso, essa certamente não é a razão. Talvez seja a falta de conhecimento ainda, é a primeira vez que o Partido Verde disputa uma eleição, não podemos esquecer isso.

BATV – O senhor acha que a posição dos ambientalistas em defesa do meio ambiente e que é vista por muitos como intransigente, ou até um entrave para o desenvolvimento, isso é um obstáculo para a sua candidatura? Como é possível conciliar a preservação do meio ambiente com o desenvolvimento?
Luiz Bassuma – O tempo não permite, mas existem “N” exemplos que se pode citar hoje de sucesso no mundo todo, em várias partes do mundo, onde já se concilia isso que eu falei, o crescimento econômico, ou seja, a geração de emprego e renda, que é o que interessa para todo mundo, mas sem destruir a natureza, sem poluir os rios, sem matar as florestas, isso é plenamente possível, energia limpa, renovável. O que que é sustentável? É tudo aquilo que você permite o desenvolvimento, o crescimento, a evolução das coisas e das pessoas, mas sem retrocessos, sem degradação. A Bahia tem vários pontos que já houve grande crescimento no passado e agora está em degradação por causa da destruição dos recursos naturais.

BATV – O senhor disse que o PV é um partido novo e é a primeira vez que está concorrendo à presidência e o senhor também é um novo filiado ao PV, há apenas um ano. O que mudou, o senhor era petista, qual é a grande crítica ao partido?
Luiz Bassuma – Acho que a minha chegada ao Partido Verde, assim como Marina Silva, é um resgate da velha utopia, que não podemos perder nunca, da prática política. De nada adianta você vencer eleições e jogar na lata do lixo tudo aquilo que você acredita, sonha, seus ideais, sua visão de mundo. No PT, partido em que eu sempre estive, continuo tendo muitos amigos, mas que ao longo do tempo se tornou o partido da ordem, ou seja, do poder pelo poder, onde ganhar uma eleição vale tudo, vale qualquer aliança, vale qualquer conchavo, e nós defendemos que isso não pode ser perdido na política. Por isso o PV está sozinho e por isso que para governar a Bahia nós queremos quebrar esse paradigma da prática política, não queremos fazer acordos nem conchavos para fazer o chamado loteamento do governo. Tem que ser fiel àquilo que você propõe na campanha, tem que ser fiel quando você está no poder, exercendo o governo.

BATV – O senhor fala muito dos problemas que a corrupção causa ao país. Caso o senhor seja eleito qual a primeira medida que você vai tomar?
Luiz Bassuma – Infelizmente esse é o câncer que tomou conta de quase todas as instituições brasileiras e baianas e só existe corrupção quando tem corrupto e corruptor. O governo não pode ser nunca um agente corruptor, ele tem que ser intransigente com a transparência, com a fiscalização. Essa é uma outra quebra na minha vida, quando deixei de ser gerente de petróleo na Petrobras e me tornei líder de um sindicato importante dos petroleiros, a primeira medida que eu fiz e que foi fundamental, foi permitir que o conselho fiscal do sindicato fosse ocupado pela oposição. Para que? Para dar o máximo de transparência e fiscalização, o mesmo princípio que eu quero adotar chegando ao governo do estado da Bahia. Todos os órgãos vão nos fiscalizar e auditoria interna, a controladoria geral existir e funcionar para impedir a corrupção ou pelo menos levar a um grau mínimo e quando existir, punição.

BATV – As pesquisas comprovam que é a saúde o fator que mais preocupa a população. O que o senhor trás de diferente para poder amenizar o sofrimento da população?
Luiz Bassuma – Com tristeza tenho dito em todas as entrevistas que tenho dado, que na Bahia a educação não vai bem, a saúde vai pior e a segurança está um caos. Eu visitei todos os principais hospitais públicos da Bahia durante essa campanha e eu convivi com um quadro que não precisa relatar aqui, que é do conhecimento de todos. As pessoas não são tratadas como gente, como pessoa. Ninguém planeja ficar doente. Nós temos um SUS, que é uma ideia maravilhosa, é tão boa que nos Estados Unidos Obama quer aprovar agora algo parecido com o SUS. Porque que o SUS não virou prática? Não era para existir plano de saúde no Brasil, muito menos na Bahia, é porque há muita corrupção na saúde, eu digo isso porque sou deputado federal, trabalhei muito no congresso nessa área, em média, a estimativa é de que a cada R$ 10 que circula na saúde R$ 3 são perdidos pelo ralo da corrupção. Fechar esse ralo é fundamental para sobrar dinheiro para a saúde.

BATV – Quais são as suas considerações finais?
Luiz Bassuma – Eu costumo sempre dizer quando tenho pouco tempo assim o lema na minha vida. Francisco de Assis o seguinte há quase mil anos trás: “Comece a sua vida fazendo aquilo que é necessário, continue a sua vida fazendo aquilo que é possível, porque de repente você fará algo impossível”. Quando você é do bem, quer o bem, quer se doar, quer estar desprendido, dar o melhor de si, a sua energia para os outros, outras forças vão entrar em ação e em algum momento você fará alguma coisa que as pessoas acham que seja impossível, mas que nada é impossível na vida.
BATV