O presidente do comitê organizador da Copa de 2014, Ricardo Teixeira, afirmou na manhã desta quarta-feira que Salvador tem condições de sediar a abertura da competição.

Ele disse que os responsáveis pela obra informaram que o projeto do estádio da Fonte Nova pode ser ampliada para 65 mil lugares, o que permitiria receber o primeiro jogo do torneio.

“Recebi um documento da Bahia, que levei ao comitê para analisar, dizendo que eles elevarão o estádio para o número mínimo [de capacidade para abertura] de 65 mil, que isso seria factível. Estrutura hoteleira e outras coisas, a Bahia tem”, disse Teixeira, no Rio.

Ele defendeu que outras cidades postulem o direito de receber a abertura da Copa. O projeto inicial é que São Paulo sedie a primeira partida, mas ainda há indefinição sobre a estrutura dos estádios no Estado.

Após abandonar o projeto do Morumbi, o novo estádio do Corinthians, em Itaquera, tornou-se a nova opção. Ele, porém, ainda não tem projeto definido para abrigar mais de 60 mil torcedores.

“Todas aquelas cidades que se enquadrarem para poder ter a possibilidade de abertura, devem postular”, disse Teixeira, que também é presidente do Comitê Organizador Local (COL).

Ele esteve no Rio para, ao lado do prefeito Eduardo Paes (PMDB) e do presidente do comitê organizador da Olimpíada de 2016, Carlos Arthur Nuzman, fazer a detonação inicial da Transoeste, via que vai ligar Santa Cruz à Barra da Tijuca, obra prometida ao COI (Comitê Olímpico Internacional). A previsão de conclusão da obra é junho de 2012.

Teixeira preferiu não comentar o andamento das obras dos estádios. Ele alegou que a central de controle do comitê, para monitoramento dos projetos.

Questionado sobre a necessidade de fechamento do Maracanã, o presidente da CBF afirmou que o estádio deveria ter sido fechado há um ano e meio. “Foi atrasado”.
Folha