Até agora, o Tribunal superior Eleitoral (TSE) já julgou recursos relacionados ao registro de candidaturas de três baianos: José Raimundo Fontes (PT), Rui Macedo (PMDB) e Marcos Antônio Ribeiro dos Santos (PRP), todos pleiteando vaga de deputado estadual. Os dois primeiros foram liberados, mas o terceiro foi barrado. Além deles, outros 18 baianos aguardam julgamento.

Todos eles tiveram o pedido de registro de candidatura impugnado pela Procuradoria Regional Eleitoral (PRE), mas foram liberados pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA) para concorrer neste ano. Por causa disso, a PRE recorreu ao TSE, instância superior.

Das 18 candidaturas que faltam ser julgadas, nove enquadram-se especificamente na Lei da Ficha Limpa e só devem ser barrados caso o Supremo Tribunal Federal (STF) decida pela validade da lei neste ano. São eles:

Adalberto Lelis Filho (PMDB)
Astor Moura Araújo (PMDB)
Carlos Gaban (DEM)
Coriolano Souza Sales (PSDB)
Geraldo Simões (PT)
Jânio Natal (PRP)
Joseph Bandeira (PT)
Maria Luiza Laudano (PT do B)
Misael Aguilar (PMDB).

Já outros nove candidatos tiveram problemas com rejeição de contas pelos tribunais de contas, quando exerceram cargo público. Independente do entendimento sobre a Ficha Limpa, podem ser barrados pelo TSE. São eles:

Antônio Calmon (PMDB)
Saulo Pedrosa (PSDB)
Vasco Queiroz (PP)
Carlos Brasileiro (PT),
Frei Dilson (PT)
Joélcio Martins (PMDB)
Raimundo Caires Rocha (PMDB)
Sérgio Passos (PSDB)
Virgínia Hagge (PMDB).

Como o julgamento deles ainda está pendente, eles podem ser eleitos, mas se o TSE posteriormente derrubar suas candidaturas, eles perdem o mandato.
ATarde