Com a prisão do casal Edson Justino dos Santos, de 32 anos, e Gabriela Silva Brito Motta, de 22, nesta quarta-feira, 21, a polícia de Vitória da Conquista, a 509 km de Salvador, acredita ter elucidado o latrocínio (roubo seguido de morte) do aposentado Josué Francisco da Silva, de 59 anos, ocorrido no final do ano passado.

A vítima, que residia em Jequié, viajou até Conquista para vender um imóvel residencial, no Bairro Morada dos Pássaros, ao casal Edson e Gabriela. Segundo parentes, em 29 de dezembro ele recebeu um telefonema o chamando com urgência para fechar o negócio em Vitória da Conquista.

Após acertar o valor da venda em R$ 30 mil, Silva foi a uma imobiliária de Conquista acompanhado do casal e, após assinar o contrato de compra e venda, todos saíram juntos com destino ao banco, onde o pagamento seria efetuado.

A vítima voltou a se encontrar com o casal, ainda em Conquista, e foi até um cartório para fazer a transferência do imóvel. Em sua defesa, à época, o casal sustentou que ofereceu carona a Silva até o banco, onde teria feito o pagamento da quantia acertada. Desde então, a vitima não foi mais vista.

Após quatro dias de buscas, a polícia chegou ao corpo de Josué carbonizado às margens de uma estrada vicinal entre Conquista e o povoado da Estiva, a 20 km da sede. A identificação do corpo só foi possível após exame de DNA realizado pelo Departamento de Policia Técnica (DPT).

Ao término das investigações, o delegado titular da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR), Cléber Rocha Andrade, indiciou o casal por latrocínio, pedindo a decretação da prisão preventiva dos acusados.

Após parecer favorável da promotora de Justiça Guiomar Miranda, o juiz do processo, Clarindo Lacerda, decretou a prisão, cumprida nessa quarta-feira. Edson e Gabriela foram encaminhados ao Presídio Nilton Gonçalves, onde encontram-se à disposição da Justiça.
ATarde