Localizada a 509 km de Salvador, a cidade de Vitória da Conquista, na Bahia, sofre as consequências da estiagem que já dura seis meses. Com os reservatórios vazios, 22 mil pessoas (cerca de 7% da população local), pertencentes à zona rural do município, só têm acesso à água por meio de carros-pipas.

De acordo com informações desta quinta-feira (21/10) do jornal “A Tarde”, o combate à estiagem requer gastos de R$ 300 mil por mês, e a condição climática tem comprometido a produção agrícola.

O preço da saca de 60 kg do feijão carioquinha, por exemplo, saltou de R$ 130 para R$ 210. A alta de 61,5% também está relacionada à falta do grão nos estoques, que tem feito comerciantes buscar feijão em Guanambi, a 290 km, e até no estado de Goiás.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores Rurais, citado pelo jornal, a perda na produção já chega a 70% e a prefeitura de Vitória da Conquista, em parceria com o Ministério da Integração Nacional e o Exército, deslocou 23 carros-pipa para atender a 179 comunidades, com distribuição diária de 20 litros por pessoa. Entre os distritos em pior situação, estão José Gonçalves, Iguá, Bate-Pé, Pradoso, Cercadinho, Inhobim e São João da Vitória.
GloboRural