Após mais de 8h os presos encerraram na noite deste sábado (06) a rebelião iniciada às 11h em Brumado, município localizado a 654 km de Salvador. Os presos haviam feito três mulheres e um carcerário como reféns, mas nenhuma das vítimas sofreu ferimentos.

Durante as negociações realizadas com policiais civis e militares, o clima ficou tenso quando os detentos exigiram a presença de um juiz, um promotor de justiça e um defensor público, e nenhum deles foi localizado.

As negociações, comandadas pela delegada Alessandra Maria Cardoso, foram mantidas e receberam o apoio da defensora pública Angélica Oliveira e da imprensa. os presos receberam a garantia de que teriam suas integridades físicas mantidas e de que a carceragem não seria invadida. No final da tarde, as mulheres foram libertadas.

O clima permaneceu tenso por algumas horas, mas diante do desenvolvimento das negociações, o último refén foi solto, já no período da noite, e os detentos não mais reagiram, finalizando a rebelião.

Segundo a polícia, a situação está completamente controlada, mas a estrutura física da carceragem da 20ª Corpin está em parte deteriorada devido às ações dos presos dentro das celas e do fogo que atearam durante a rebelião.

A carceragem da cidade possui capacidade para 28 pessoas, mas abriga 61. Na semana passada oito homens conseguiram fugir do local.
Correio*