O que seria a elucidação de um crime de homicídio cometido no último sábado, 6, levou a polícia de Itapetinga, a 560 km de Salvador, a desvendar outros quatro, confessados pelo mesmo acusado, Jailton Silva Souza, 20 anos, nesta quinta-feira, 11.

Preso por policiais militares na quarta-feira, 10, no Bairro Lunolândia, periferia da cidade, “Jala”, como é mais conhecido, também é apontado como autor de mais cinco mortes, totalizando 10 assassinatos cometidas em menos de três meses.

De acordo com a polícia, a confissão dos demais crimes, que teriam sido cometidos nos últimos dias, é uma questão de tempo. Em depoimento gravado em vídeo, minutos após a prisão, “Jala” não demonstra arrependimento e ri ao lembrar-se das mortes confessadas. O depoimento deve ser usado contra o acusado no curso das investigações.

Interrogado na delegacia, o assassino confesso relatou para os policiais civis, com riqueza de detalhes, as mortes de Alex Matos Moreira, ocorrida em 25 de setembro; de Maycon Santos Alves – cujo corpo foi encontrado no dia 4 de outubro, boiando nas águas do Rio Catolé; Anderson de Melo Silva, dia 20 do mesmo mês, no Bairro Clodoaldo Costa; Abinael Alves, 26 anos, no sábado, 6, no Bairro Nova Itapetinga; e de Welton Alves Santana, 30, em um matagal, no mesmo bairro.

A justificativa para os crimes, de acordo o acusado, é que as vítimas ameaçavam matá-lo. O Serviço de Investigação da Polícia Civil contesta essa versão, atribuindo aos crimes o avanço do tráfico de drogas em Nova Itapetinga.
ATarde