O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), vinculado ao Ministério de Educação (MEC), ainda não tem os nomes dos municípios brasileiros em que a nova prova do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) será aplicada, no dia 15 de dezembro, para os cerca de 2.817 estudantes (menos de 0,1% do total de inscritos) que tiveram o direito de refazer o exame assegurado após análise e reanálise das 116.626 atas dos locais de prova.

Conforme a assessoria de imprensa do Inep, a previsão é que os dados sejam divulgados na próxima semana. A análise continua sendo feita, com o objetivo de identificar os estudantes que, por algum motivo, não tenham substituído as provas com problemas de impressão.

Na Bahia, no último dia 11 deste mês, estudantes que integram o projeto Adolescente Aprendiz, da Instituição Beneficente Conceição Macedo (IBCM), solicitaram ao Inep que cobre do Ministério da Educação mais credibilidade no Exame Nacional de Ensino Médio e agilidade nas investigações dos problemas encontrados nas provas.

O estudante Ronei Conceição, 26 anos, um dos candidatos que se sentiram prejudicados, espera refazer a prova no dia 15 de dezembro, mas informa que ainda não recebeu o novo cartão de confirmação de inscrição que o MEC deverá mandar para as residências dos estudantes atingidos pelos problemas.

No entanto, Ronei vive um dilema: a data da nova prova cairá no mesmo dia em que terá de fazer a segunda etapa do vestibular da Universidade Federal da Bahia (Ufba), no qual se inscreveu para o curso de artes plásticas. “Se não tiver outro jeito, vou optar pela prova da Ufba. Mas espero que essa situação seja resolvida”, afirmou.

Segundo o Inep, os alunos serão comunicados pelos meios habituais, além de receber o novo cartão e a declaração de comparecimento para justificar eventual ausência no trabalho.
ATarde