Um depósito clandestino de combustível foi desativado na tarde desta quarta-feira (8), em Vitória da Conquista a 509km de Salvador. Investigações revelaram que, semanalmente, chegavam ao depósito cerca de 180 mil litros de Etanol para serem adulterados.

Os policiais apreenderam quatro caminhões além de 45 mil litros de Etanol sob suspeita de estarem adulterados. Amostras foram colhidas e encaminhadas para análise, confirmar a fraude.

Segundo informções da Secretaria de Segurança Pública, as notas fiscais encontradas no escritório do depósito, o estabelecimento pertence à empresa Transportadora Irmãos Moreira Ltda, que atua ilicitamente há algum tempo. Comprovada a fraude, o proprietário da empresa, Otávio Moreira, vai responder por crime contra a economia popular, adulteração de combustível e sonegação fiscal. O gerente, Daniel Prado Brito, que se encontra em Brasília, também será ouvido pelo delegado.

O esquema de adulteração
Segundo as investigações divulgadas pela polícia, a transportadora comprava combustível de vários fornecedores no interior do estado e em Minas Gerais, mas como a carga não passava pelos postos fiscais nas rodovias, os impostos deixavam de ser pagos.

Em Vitória da Conquista, o combustível tinha como destino o depósito clandestino, onde os lacres dos tanques eram quebrados e o Etanol adulterado. Depois de lacrados os tanques, o etanol era vendido para diversos postos da região.

No escritório do depósito, em Vitória da Conquista, foi apreendido um computador para análise e averiguação de outras possíveis fraudes. As investigações apontam para Daniel Prado Brito, sobrinho do proprietário da empresa.
Correio*