A operadora Oi não poderá cobrar nas faturas de telefonia e internet do mês de dezembro o período em que os serviços ficaram comprometidos em decorrência de incêndio no prédio central da empresa. A afirmação foi feita pela superintendente de proteção e defesa do Consumidor do Procon-BA, Cristiana Menezes Santos, em entrevista ao Jornal da Manhã da Rede Bahia, nesta quinta-feira, 23. “A Oi tem que abater o valor das contas para que o consumidor não pague pelo que não consumiu”, disse.

Ainda segundo Cristiana, atendendo a estas medidas, a empresa evitará que os casos tenham que ser resolvidos em esfera judicial. “A solução tem que ser em benefício do usuário. É importante que respeitem o consumidor”, destaca.

Nesta quarta-feira, 22, a Oi emitiu comunicado oficial e informou que os técncicos da empresa já iniciaram as avaliações da extensão dos danos causados pelo incêndio, o que deverá permitir que a operadora informe quais os prognósticos para restabelecimento de cada um dos serviços afetados.

Na nota, a Oi informou, ainda, que “os clientes do serviço de telefonia fixa afetados poderão retirar aparelho para acesso emergencial provisório, que garantirá a comunicação de voz pelo período que o serviço permanecer interrompido. Já os clientes do Oi Velox que tiveram seu serviço de banda larga paralisado em decorrência do incêndio receberão mini-modem 3G para conexão sem fio à Internet”.
ATarde