O vice-presidente José Alencar, que não pôde ir à posse de Dilma Rousseff na Presidência da República neste sábado, declarou-se “exaurido” após passar recentemente por um infarto, uma hemorragia intestinal, transfusões de sangue e sessões de hemodiálise para tratar os efeitos colaterais de um câncer que combate há mais de dez anos.

“Eu não estou dando um passo. Eu não paro em pé. Eu estou exaurido”, disse Alencar a jornalistas no hospital em que está internado desde o dia 22, depois de apresentar um sangramento no mesmo local onde tem um tumor. “Eu estou na expectativa de poder, no dia 3, retomar o meu tratamento contra o câncer”, disse.

O vice-presidente contou que não tinha apenas vontade de ir à Brasília para acompanhar a posse de Dilma, mas que ir à capital federal seria seu dever. Ele comentou que Lula lhe disse que, como Alencar estará ausente na posse de Dilma, o presidente terá de ir ao hospital após entregar o cargo à primeira mulher eleita presidente.
Terra