O MPF (Ministério Público Federal) enviou à Rede Globo de Televisão uma recomendação oficial em que pede que a emissora respeite os direitos humanos na edição número 11 do Big Brother Brasil, que estreia nesta terça-feira (11/1).

No documento, a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão lembra que, em 2010, o programa foi alvo de mais de 400 reclamações de cidadãos denunciando casos de homofobia, incitação à violência, apelo sexual, inadequação no horário de exibição e violação da dignidade da pessoa humana.

Em 2010, a Rede Globo foi obrigada a exibir um comunicado explicando as formas de contágio do HIV após um dos participantes, Marcelo Dourado, dizer que heterossexuais não pegam Aids. Já na edição deste ano, o diretor do programa, J.B. Oliveira, causou polêmica ao dizer que seriam liberadas as agressões entre os participantes.

De acordo com a recomendação do MPF, a própria Rede Globo criou normas de autoregulamentação que prevêem a exibição de programas “de qualidade, que atendam às finalidades artística, cultural, informativa, educativa e que contribuam para o desenvolvimento da sociedade”.

O MPF também pede que a emissora tome providências para respeitar a indicação indicativa para o horário, evitando a exposição de conteúdos inadequados a crianças e adolescentes.
ÚltimaInstância