O papa Bento XVI disse para os jovens não criarem perfis falsos nas redes sociais, ao emitir sua mensagem ao 45ª Dia Mundial das Comunicações Sociais, celebrado hoje. No texto, o Pontífice afirma que as redes sociais oferecem novas oportunidades de “compartilhamento”, de “diálogo, troca, solidariedade e criação de relações positivas”.

Mas, para ele, é preciso “evitar os perigos” da Internet, como os de “se refugiar em uma espécie de mundo paralelo, ou de ter uma excessiva exposição no mundo virtual”. Bento XVI ressaltou ainda que, na procura por um número maior de “amigos”, é necessário ser “fiel a si mesmo” e nunca acreditar nos truques ou “ilusões, como a criação de falsas identidades e “perfis”.

“Na procura pelo compartilhamento e pela amizade, enfrenta-se o desafio de ser sempre autêntico, fiel a si mesmo, sem ceder à ilusão de construir artificialmente um perfil público”, destaca a mensagem, intitulada “Verdade, anúncio e autenticidade de vida na era digital”.

O Pontífice também elenca outros perigos aos quais os usuários das redes sociais estão expostos, como “a tendência de se comunicar somente com algumas partes do próprio mundo interior e o risco de cair em uma espécie de construção da imagem de si mesmo”.

Segundo Bento XVI, “como qualquer outro fruto da engenhosidade humana, as novas tecnologias da comunicação pedem para ser postas a serviço do bem integral da pessoa e da humanidade inteira”.

“Se usadas sabiamente, [as redes sociais] podem contribuir para satisfazer o desejo de sentido, verdade e união que permanece na aspiração mais profunda do ser humano”, afirma o Papa.

Segundo Bento XVI, “o envolvimento sempre maior no mundo digital público estabelece novas formas de relações interpessoais, influencia na percepção de si e impõe, inevitavelmente, a questão não somente do modo correto de agir, mas também da autenticidade do próprio ser”.
ANSA