Um editorial publicado nesta sexta-feira pelo diário econômico britânico Financial Times elogia o início do governo da presidente do Brasil, Dilma Rousseff, e a mudança de estilo em relação ao antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva.

Para o jornal, o primeiro mês de governo de Dilma já demonstrou que as previsões de que ela seria simplesmente uma continuação do governo Lula foram “apressadas”.

O editorial afirma que ela “rompeu com as políticas de seu antecessor de várias maneiras animadoras”. “Um dos aspectos menos atraentes da Presidência de Lula foi sua aproximação com o Irã e sua recusa em falar sobre os abusos aos direitos humanos por lá. Essa postura tornou difícil as relações cordiais com os Estados Unidos”, comenta o texto. Para o jornal, Dilma “está revertendo essa posição”.

Corte de gastos
O editorial afirma ainda que a mudança de estilo também pode ser observada na política doméstica, com o reconhecimento de Dilma sobre a necessidade de o governo conter seus gastos.

Para o jornal, Dilma não deve se desviar desse caminho e precisa resistir às prováveis pressões de seus parceiros na coalizão governista por aumentos de gastos. “O quanto antes ela começar a cortar, melhor”, diz o editorial.

Para o jornal, a lista de coisas a fazer na economia ainda é longa, incluindo o incentivo ao aumento do nível de poupança e a simplificação do sistema tributário. Mas, na avaliação do editorial, Dilma “fez um começo (de governo) sólido”, apesar do ceticismo dos mercados.
BBCBrasil