É um fenômeno natural na vida do atleta, seja ele medíocre ou excepcionai: chega uma hora em que é preciso parar. Esse é o momento que vive Ronaldo Luís Nazário de Lima, 34 anos. Foi um pouco antes do que o próprio atacante e a torcida do Corinthians imaginavam: o planejado era no final do ano, ao término de seu contrato com o clube.

Mas também foi muito, muito depois do que os céticos imaginavam – havia gente apostando nisso desde 1998, quando o futuro recordista de gols em Copa do Mundo passou por um nebuloso episódio de convulsão às vésperas da final do Mundial contra a França, em Paris.

Ronaldo confirmou a decisão no “Fantástico’, da TV Globo, no domingo: vai pendurar suas milionárias chuteiras. O anúncio será feito oficialmente às 12h40m desta segunda-feira, no centro de treinamento do Corinthians, em São Paulo.

– Nos últimos dias chorei feito um neném, uma criança. São as dores do corpo… A cabeça até quer continuar, mas o corpo não aguenta – disse Ronaldo à jornalista Patrícia Poeta, apresentadora do “Fantástico”.

O melhor jogador de futebol do mundo em 1996, 1997 e 2002 havia revelado mais cedo, no próprio domingo, ao jornal “O Estado de S. Paulo”.

– Não aguento mais. Eu queria continuar, mas não consigo. Penso uma jogada, mas não executo como quero. Tá na hora. Mas foi lindo pra caramba – contou Ronaldo a Daniel Piza.

A última frase tira um pouco da melancolia da decisão, impressão reforçada por outra declaração divulgada pelo “Fantástico”:

– Os últimos dois anos no Brasil foram os mais incríveis da minha vida.
Globo.com