O medo de que outros estudantes também possam estar circulando com armas – a exemplo de uma adolescente de 13 anos apreendida com um revólver calibre 38 em sala de aula – está afastando a maioria dos 1,5 mil alunos do Centro Educacional Alfredo Dutra (CEAD), em Itapetinga, a 509 km de Salvador.

A intervenção da polícia no episódio com a adolescente na sexta-feira, 11, evitou a repetição da tragédia que resultou na morte do estudante John Lucas Ferreira do Amor, 15 anos, assassinado com um tiro no pescoço por um adolescente de 17 anos, quando retornava da escola.O crime aconteceu em 26 de março de 2008.

O autor do disparo fatal estava em companhia de colegas, mas somente um deles, Fabiano Almeida Silva, 21 anos, que também portava uma arma de fogo, foi apreendido. A vítima era aluno da 6ª série do CEAD. No caso do último dia 11, uma testemunha contou que a garota estava exibindo um revólver para outro colega, afirmando que tramava matar uma garota dentro da sala.

A estudante, que segundo a polícia já havia sido apreendida nos últimos meses com uma faca na mochila, deve ser encaminhada pela Vara da Infância e da Adolescência ao Centro de Apoio Sócio-Educativo (Case), em Simões Filho. Diante de novas ameaças entre grupos rivais, funcionários, professores e estudantes fizeram uma manifestação pelas ruas da cidade reivindicando segurança na unidade escolar.

Para os professores, a solução é a reativação do Preve, programa de prevenção à violência e uso de drogas nas escolas. O projeto, de acordo com os professores, foi implantado experimentalmente durante três meses na unidade escolar no ano passado com ótimos resultados. Mantido por policiais militares durante as folgas da corporação, o Preve oferece aulas de dança, teatro e outras atividades lúdicas.

A gerente da 14ª Diretoria Regional de Educação (Direc), Sibele Nery, disse que informou a Secretaria de Educação do Estado da Bahia sobre o ocorrido e pediu apoio para reverter a situação e reimplantar o Preve na unidade escolar. A Secretaria ainda não se posicionou. A suspensão do programa de prevenção à violência foi determinada pela coordenação pedagógica da Direc.
ATarde