Por Diêgo Gomes

Derrotado pelo Vitória da Conquista por 3 x 2, o Serrano não viu outro jeito a não ser cortar na própria carne.

A diretoria do clube decidiu demitir o treinador Elias Borges ou, mesmo, como foi divulgado oficialmente, aceitar o pedido de demissão do treinador.

Fato é que Borges poderia ter caído já no primeiro confronto entre as duas equipes em 06 de fevereiro, porém o empate segurou o treinador por mais três rodadas, ou seja, até o novo confronto do dia 20 desse mês.

Em entrevista ao iBahia, Borges criticou a diretoria do Serrano ao afirmar que “era muita desorganização, um ou outro diretor querendo dar muito palpite, mas na hora de responder pelos resultados, era eu quem responderia”.

Já os dirigentes da equipe contemporanizaram, em nota, a saída do técnico, que estava há mais de um ano na equipe, ressaltando que “Elias Borges é um modelo de técnico e o Serrano o agradece por trazer nossa equipe para a primeira divisão do Campeonato Baiano”.

O rubro-verde ainda não decidiu quem será o substituto de Elias Borges e, por enquanto, quem comanda os treinamentos é o técnico dos juniores Marivaldo Miranda, que não contará com Pena, pois o atacante se afastou da equipe após a saída do treinador Elias Borges.