RTEmagicC_0f7a88e43d.jpgA Caixa Econômica Federal informou ontem que já contratou R$ 1,35 bilhão na linha de financiamento à casa própria pró-cotista, destinada a trabalhadores com conta do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) há, no mínimo, três anos.

A Caixa tem disponível R$ 4 bilhões para liberar até dezembro depois de receber um incremento de recursos de R$ 5 bilhões do conselho curador do FGTS. O outro R$ 1 bilhão será desembolsado pelo Banco do Brasil, que mapeou 2,2 milhões de clientes em condições para pegar financiamentos por essa linha.

Para contratar, é necessário possuir conta ativa do FGTS com, no mínimo, 36 contribuições, consecutivas ou não. Se o cliente não possuir conta ativa, é preciso que o saldo total do FGTS seja igual ou superior a 10% do valor do imóvel (ou do valor de compra e venda, o que foi maior).

O interessado em contratar o financiamento não pode  ser proprietário de imóvel no município onde reside ou trabalha, nem nos vizinhos e integrantes da mesma Região Metropolitana. Na Caixa, é possível financiar até 85% do imóvel de até R$ 400 mil em 360 meses.

As taxas de juros vão de 7,85% a 8,85% ao ano. No BB, é possível financiar até 90%, pelo prazo máximo de 360 meses. A taxa de juros é de 9% ao ano. A linha pró-cotista recebeu, no fim de maio, um incremento de R$ 5 bilhões do FGTS. A medida incluiu um pacote de socorro aos financiamentos imobiliários, que ficaram sem recursos depois dos saques recordes da caderneta de poupança.

A Tarde