sesabbbCom as atividades paralisadas há 22 dias, os servidores estaduais da saúde encerraram a greve iniciada no dia 17 de julho. Os profissionais retomaram as atividades neste sábado (8), após acordo firmado com o governo do estado na sexta-feira (7).

Conforme o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde da Bahia (Sindsaúde), a greve foi encerrada após o governo ter garantido o ressarcimento de todos os trabalhadores que tiveram os salários cortados durante o movimento.
Além disso, a entidade afirma que o governo se comprometeu em fazer, no prazo de uma semana, um estudo sobre a revisão do processo de concessão do adicional de insalubridade de 1, 5 mil servidores que tiveram o benefício retirado após decisão do dia 19 de junho.

O Sindisaúde também diz que foi acordada elaboração de uma agenda de trabalho para discussão dos ajustes do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos dos servidores do grupo saúde e dos técnicos-administrativos. Ainda ficou definido, segundo o sindicato, o compromisso do governo em dar celeridade aos processos de progressão e promoção e da revisão da GID para uma futura incorporação.

Por meio de nota, o governo do estado confirmou o fim da greve, destacando que houve acordo entre as partes, que devem entrar com petição conjunta para a anistia da multa de R$ 50 mil por dia, estipulada pelo Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJBA). No dia 20 de julho, a Justiça considerou o movimento ilegal.

O governo também atestou que os processos dos 1,5 mil servidores da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), que tiveram o adicional de insalubridade cortado, serão revisados dentro de uma semana, observando a especificidade de cada grupo.

Além disso, o governo do estado disse que os funcionários em greve irão compensar os dias parados por meio de carga horária estendida. O Sindsaúde disse que espera formalização dos acordos e que, na quarta-feira (12), irá realizar assembleia para analisar o cumprimentos das decisões estabelecidas.
G1