ufba-vitoria-da-conquistaOs professores da Universidade Federal da Bahia (Ufba), em greve há 125 dias, decidiram manter a paralisação, durante assembleia realizada na tarde desta terça-feira (29), em Salvador. A decisão vai contra o comunicado divulgado pela Sindicato dos Professores das Instituições Federais de Ensino Superior da Bahia (Apub), na segunda (28), que indicava o fim da greve.

A assembleia, realizada na Faculdade de Arquitetura, localizada no bairro da Federação, começou por volta das 14h. Segundo a assessoria da Apub, os docentes decidem ainda nesta terça a data para o fim da greve.

Nersta manhã, os servidores técnico-administrativos da Ufba anunciaram que também continuam em greve até o acordo firmado com o governo ser assinado. A assinatura deve ocorrer na quarta (30), em Brasília. Uma nova assembleia dos sevidores foi marcada para próxima segunda-feira (5).

Uma nova assembleia será realizada na próxima terça-feira (6).

Em comunicado publicado em seu site, na (28), a Apub informou que, diante do quadro econômico do país, a diretoria do sindicato indicaria a saída da greve e enfatizou que “a APUB, sua direção e filiados precisam pensar para além da greve”.

O sindicato disse, ainda, que “considera que é momento de fazer o balanço do que se pôde alcançar no movimento”. Os servidores e professores pedem reajuste salarial de 27%, enquanto o governo federal oferece 21,3%.

A Universidade Federal da Bahia (UFBA) informou que o semestre letivo 2015.1 não será cancelado e que os alunos matriculados terão as cargas horárias das disciplinas garantidas.

Além disso, a administração da universidade informou que o semestre 2015.2 ocorrerá normalmente, em período a ser definido, quando a situação decorrente das greves for normalizada e o calendário acadêmico for reformulado, com a definição inclusive de um novo período de matrícula.
G1