O publicitário baiano João Santana é alvo da 23ª fase da Operação Lava Jato que cumpre mandados nesta segunda-feira (22) em Salvador, em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Há um mandado de prisão contra o marqueteiro responsável pelas campanhas da presidente Dilma Rousseff e da campanha da reeleição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2006. João Santana está no exterior e não foi preso.

A nova fase da Lava Jato é chamada de Operação Acarajé, que, segundo a PF, era a forma como os envolvidos chamavam dinheiro vivo. As investigações contra o marqueteiro começaram após investigadores identificaram que ele possui contas no exterior, com origem não declarada.

Segundo a Globo News, João Santana começou a ser investigado depois que a PF apreendeu, na casa do operador Zwi Skornicki, um papel atribuído à mulher de João Santana indicando contas do publicitário fora do país. A informação sobre a apreensão foi revelado pela revista “Veja”.

Após achar o manuscrito, a PF deu início na Lava Jato a um inquérito sigiloso. A 23ª fase da Lava Jato tem 51 mandados ao todo. 38 de busca e apreensão, 2 de prisão preventiva, 6 de prisão temporária e 5 de condução coercitiva.
Correio*