Com 942 casos notificados até o último domingo, a Bahia é o segundo estado brasileiro em registros de casos de microcefalia. A doença já foi registrada em 158 dos 417 municípios do estado e já causou 25 mortes.

À frente da Bahia está Pernambuco, que já registrou, até a data de divulgação do último Boletim Epidemiológico, pelo Ministério da Saúde, 1.779 casos, com 33 mortes.

Segundo os dados do último boletim Epidemiológico divulgado na manhã de ontem pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesab), a Bahia registrou, de outubro de 2015 até o dia 12 de março deste ano, 942 casos de microcefalia, com notificações feitas em 158 municípios do estado, s por intermédio do Registro de Eventos em Saúde Pública (RESP). Desses casos, 320 foram investigados com a realização de exame de imagem, sendo 200 confirmados e 120 descartados.

Na Bahia também já ocorreram 24 mortes por microcefalia no período. Salvador foi onde ocorreu o maior número de óbitos e é também onde se concentra a maioria dos casos de microcefalia. Os óbitos foram registrados nos municípios de Alagoinhas (1), Camaçari (3), Conceição do Jacuípe (1), Cravolândia (1), Crisópolis (1), Monte Santo (1), Barro Preto (1), Campo Formoso (1), Itabuna (1), Itapetinga (1), Olindina (1), Salvador (6), Tanhaçu (1), Esplanada (1), Feira de Santana (1), Tancredo Neves (1) e Senhor do Bonfim (1).

A Sesab informou ainda, através da sua Assessoria de Comunicação, que os próximos boletins sobre microcefalia terão metodologia de diagnóstico diferente, passando a considerar os novos parâmetros indicados pelo Ministério da Saúde, que determinam as notificações de microcefalia para bebês do sexo masculino com perímetro cefálico menor que 31,9 cm e para bebês do sexo feminino com perímetro cefálico menor que 31,5 cm.
TribunaDaBahia