Foto: Polícia Civil

Foto: Polícia Civil

Dois estudantes de agronomia foram detidos após serem flagrados cultivando maconha no quintal da casa onde moram em Cruz das Almas, cidade a 145 km de Salvador. Segundo informações da Polícia Civil, mais 15 pés foram encontrados no imóvel, que fica no bairro Inocoop. Foi a segunda descoberta de cultivo de maconha no mesmo bairro em três dias.

Os dois suspeitos de 28 anos, que são estudantes da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), alegaram durante a apreensão, na quinta-feira (7), que são usuários de maconha e que a droga era para consumo próprio, conforme a polícia.

Os policiais chegaram até a dupla após uma denúncia anônima. As mudas estavam em caqueiros plásticos e latas de alumínio nos fundos da casa, na Rua Álvaro Chiacchio. No imóvel também foram encontrados mais 44 gramas de folhas de maconha secas, prontas para consumo.

Ainda segundo a Polícia Civil, os estudantes foram encaminhados para a delegacia, mas liberados após assinatura de um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). Eles vão responder ao processo em liberdade.

Maconha em estufa
Na terça-feira (5), no mesmo bairro de Cruz das Almas, 250 pés de maconha foram apreendidos em outro imóvel. Segundo informações da Polícia Civil, a plantação era cultvidada em um laboratório clandestino que pertencia a um empresário e um engenheiro civil do município. Descoberta por policiais militares, a maconha estava em imóvel alugado que servia de estufa.

Segundo informações da Polícia Civil, o engenheiro é servidor da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e confirmou que mantinha a estufa em parceria com o empresário, que também é dono de uma casa de shows na cidade.

Ainda conforme a polícia, o empresário afirmou que o cultivo da maconha era apenas para consumo próprio.
De acordo com o delegado que està à frente das investigações, os dois utilizavam técnicas avançadas de cultivo, como ambiente climatizado e iluminação de luz avermelhada. Além disso, utilizavam substratos, biofertilizantes, gotejadores para irrigação e placas de hidroponia, nas quais as mudas de maconha eram clonadas e reproduzidas.

Segundo a Polícia Civil, peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT) estiveram no local e recolheram amostras da planta para serem submetidas a análise. Os dois homens foram autuados em flagrante, com base na lei de drogas, pelo cultivo e associação para o cultivo de planta que se constitui em matéria-prima para a preparação de droga.
G1