A violência no campo e a luta pela reforma agrária serão abordadas pela terceira etapa do Curso de Formação Política e Sindical da Adusb. O evento acontecerá no dia 26 de abril, às 19h, no Auditório II do Módulo Luizão, na UESB, campus Vitória da Conquista.

A palestra “De Eldorado dos Carajás a Quedas do Iguaçu: um debate sobre reforma agrária” será ministrada por Márcio Zonta (Coordenação Nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e Walcyr Barros (Coordenador do Grupo de Trabalho de Política Agrária, Urbana e Ambiental do ANDES).

Em abril de 1996, 21 militantes do MST foram mortos pela Polícia Militar do Pará, em Eldorado dos Carajás. Em 2016, no dia 7 de abril, dois trabalhadores foram assassinados e outros sete ficaram feridos em uma emboscada da Araupel – uma empresa madeireira – e da Polícia do Estado do Paraná em Quedas do Iguaçu.

No ano passado, o Brasil liderou pelo quarto ano consecutivo a lista dos países que mais mata militantes ligados à luta ambiental e agrária.

De acordo com o IBGE, as propriedades rurais de até 10 mil hectares representam apenas 2,7% das terras utilizadas para a agricultura no país. Todo o restante está concentrado nas mãos dos grandes empresários, ou seja, mais de 140 milhões de hectares são latifúndios. Os dados do IBGE revelam a tímida política de reforma agrária implementada no Brasil e o avanço do agronegócio.

Milhares de famílias do campo não possuem locais de moradia e produção de alimentos. Além disso, quando organizadas para lutar em defesa do direito à terra e vida digna, são atacadas de forma brutal. Crimes que em sua maioria ficam na impunidade.

A Adusb convida toda comunidade universitária e população da região a participar do evento do dia 26 de abril e discutir tema de tal relevância social. O sindicato disponibilizará transporte para os interessados dos campi de Jequié e Itapetinga, basta entrar em contato com a Adusb até o dia 25 de abril às 15h.
Adusb