netoA família do Sr. Melquíades da Silva, portador da doença Glioblastoma Multiforme, um tumor maligno que atinge o cérebro está brigando na Justiça para conseguir o medicamento para tratamento do câncer do avô. Pelo fato da família não ter condições financeiras e o remédio ser de alto custo a Justiça determinou que a Prefeitura de Vitória da Conquista fornecessem a medicação para o Senhor, o que até então não aconteceu.

Os Netos do Senhor Melquíades resolveram compartilhar nas redes sociais o drama vivido:

Texto:

ESTÁ VENDO ESSE SENHOR NA FOTO? É uma das pessoas mais honestas e corretas que conheço. Esse é meu avô, uma pessoa que passou sua vida defendendo os princípios da dignidade e humildade. Recentemente foi diagnosticado com um câncer em uma região muito delicada, com um quadro clínico complicado e que exige um cuidado especial, principalmente, uma medicação chamada TEMODAL para que dê inicio ao tratamento quimioterápico.

Iniciamos uma campanha nas redes sociais em prol do cumprimento dos prazos estipulados pela prefeitura que. através de petição judicial, foi obrigada a providenciar a medicação. A mesma disparou uma nota dizendo que na última quarta-feira (01), o remédio já estaria disponível (isso por que já havia esticado o prazo dizendo que a substância era importada e não chegaria dentro dos 5 dias úteis). Os 5 dias passaram, a quarta-feira passou e meu avô continua com a ansiedade, nada da medicação, e como se não bastasse, a última desculpa alega falta de matéria prima. FALTA DE MATÉRIA PRIMA? Vamos ao desabafo de um neto revoltado.

Como que falta MATÉRIA PRIMA para uma medicação cada vez mais utilizada no tratamento de câncer? Ok. Será que não existe NENHUM outro lugar que tenha esse remédio e que possa ser solicitado? Pensando não só em meu avô, quantas pessoas são dependentes dessa medicação? Será que todas elas estão a mercê da matéria prima também? Além disso, será que as indústrias fabricantes do medicamento, visando sempre lucro, deixariam chegar a uma situação de falta de matéria prima? Onde fica o planejamento? Não sei, não acredito que a indústria deixaria de ganhar uma “fortuna” por falta de matéria prima.

“A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.”. – Constituição Federal.