Em decisão do diretório municipal, o professor e filosofo, Euvaldo Cotinguiba, foi confirmado como pré-candidato do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) à Prefeitura de Vitória da Conquista nas eleições deste ano. A deliberação da direção foi tomada após o presidente estadual, Ronaldo Santos, anunciar a retirada de sua pré-candidatura na tarde desta quarta (29).

Atuando como propagador cultural e no campo educacional como professor na rede estadual e privada, Euvaldo Cotinguiba, sempre se manteve como militante político progressista, desde as Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), passando pelo movimento estudantil no período da Universidade até a sua chegada à cidade em 2006, quando passou a trabalhar no mercado livreiro, vinculado à Livraria Letras e Prosa e ao Viela Sebo e Café.

A sua história de vida e atuação política é marcada pelos princípios em defesa de uma sociedade mais igualitária e participativa, acreditando na construção de outro modelo de relações entre os sujeitos, menos baseada no poder que uns exercem sobre os outros.

“Nossa candidatura será propositiva e não entrará na corrida pela busca de ‘bodes expiatórios’. Somos um partido que tem propostas e segurança da responsabilidade que nos impõe este momento da história para que não retrocedamos nos direitos que tanta luta e sangue custou aos movimentos sociais e aos cidadãos comprometidos com uma sociedade melhor”, defendeu o professor e agora pré-candidato oficial pelo PSOL.

Na carta encaminhada aos militantes de Vitória da Conquista, Ronaldo Santos destacou que a sua saída acontece em nome da unidade política partidária. “Retiramos a nossa pré-candidatura, pois nos sentimos totalmente integrados na construção política efetivada pela direção do partido, marcada pela unidade e pelo diálogo”, diz trecho do documento.

Com a decisão, o PSOL continuará discutindo com a REDE Sustentabilidade e o Partido Comunista Brasileiro (PCB) a composição de uma frente política que paute os múltiplos problemas de Vitória da Conquista, especialmente nas áreas de educação, saúde, violência urbana e rural, mobilidade urbana e sustentabilidade, com destaque para a crise hídrica que o município atravessa, e a partir disso apontar soluções reais.
ASCOM PSOL