Ato PSOL-REDE 08 07 16 (1)Vitória da Conquista precisa de um modelo de gestão que dê conta dos sérios problemas enfrentados no atual momento para, a partir disto continuar o seu processo de desenvolvimento e avançar em qualidade de vida, segurança, educação e vários outros aspectos que são imprescindíveis para os seus concidadãos.

Foi com base nesses princípios que, na noite desta sexta, 08, o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) e a REDE-Sustentabilidade oficializaram as pré-candidaturas do professor, Euvaldo Gomes Cotinguiba, e do estudante Caio Coelho à Prefeitura de Vitória da Conquista.

A defesa de uma nova política para a cidade deu o tom dos discursos. “Temos o desafio de mostrar a todos os que estão em busca de uma outra cidade, de um outro mundo possível, que não basta a renovação, é preciso inventar novas formas de organização e distribuição de poder” conclamou o pré-candidato Euvaldo Cotinguiba. “Precisamos dialogar e encontrar caminhos para uma ‘vida boa’ para aqueles que vivem as opressões deste sistema econômico e político apodrecido no qual nos encontramos”, emendou.

Em seu pronunciamento, Euvaldo Gomes destacou que existem diversas questões pedindo socorro no município, entre as mais urgentes: a educação, a crise social decorrente de fatores diversos cuja maior expressão é a violência, a questão da saúde, a questão ambiental e decorrente dela, a crise hídrica. Afirmou que estes temas serão os primeiros a serem discutidos, pois a partir deles, uma série de outras questões surgirão.

Profundo conhecedor da cultura local, lembrou que Vitória da Conquista possui um grande celeiro artístico, contudo subaproveitado. Ao criticar a inexistência de uma política cultural lembrou que a cidade não dispõe de espaços para a realização de eventos e ressaltou que é possível implementar ações financiadas por meio da renúncia fiscal. “E que o município destine parte de sua receita por meio de uma lei que entre na distribuição orçamentária claramente e não se invista na cultura apenas quando se sobra dinheiro, afinal cultura nunca é vista como prioridade”, complementou.

O jovem discente do curso de Direito, Caio Coelho, lembrou que a aliança entre as duas siglas ocorre por orientações políticas claras e afinidades, e não em busca de tempo para o horário eleitoral ou na fatia de cargos. “Não fechamos acordo por fisiologismo, mas sim pelas condições de princípios, legalidade e eixo programático para a cidade”, frisou. Agora, segundo discursou, o desafio é escutar a população e levar à ação o que cada um tem a contribuir: “trazer propostas e formular o programa de forma propositiva e mostrar que existe um caminho alternativo e viável para Vitória da Conquista”, pontuou.

Prosseguindo com as atividades pré-eleitorais, os militantes e simpatizantes se reunirão na manhã deste domingo (10), no Colégio Ana Nery (situado na Galeria Panvicon Center), às 9h, para continuar com a elaboração coletiva do programa de governo. A população conquistense está convidada a integrar o grupo.
ASCOM PSOL