Rede e Psol em ConquistaEm convenções realizadas na noite desta sexta (22), o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) e a REDE-Sustentabilidade confirmaram a coligação entre as duas siglas e formalizaram o nome do professor Euvaldo Gomes Cotinguiba, e do estudante Caio Coêlho, como candidatos à Prefeitura de Vitória da Conquista.

Com o mote “Transparência e Participação Popular”, a chapa se apresentará no processo eleitoral como uma alternativa qualificada visando discutir a concepção de cidade baseada em uma nova cultura política.

A aliança entre os dois partidos foi construída a partir da preservação de princípios, orientações políticas claras e afinidades ideológicas. A chapa mescla a experiência política do professor e a juventude do estudante em uma coligação que disputará as eleições municipais com o propósito de apresentar um programa de governo real que contemple os interesses da população.

Com um discurso crítico ao atual sistema democrático, Euvaldo Gomes Cotinguiba, disse que o momento é de redefinição do sentido da própria da expressão. “É uma democracia em que não se tem disputa e nós não podemos mais discutir a ideia de democracia como vontade da maioria, porque é um conceito criado pela hegemonia burguesa, justamente por saberem que é fácil manipular e cooptar mediante o fisiologismo e a troca de secretarias. Esse tipo de política está falida e não nos serve”, argumentou.

Ao detalhar o nome da coligação, Euvaldo afirmou que os partidos entram na disputa defendendo a bandeira da participação popular no espaço público em que as pessoas, sobretudo aquelas que são chamadas no processo apenas no dia da eleição, depois são esquecidas para serem lembradas após quatro anos. “Isso é uma falácia. Não existe democracia. Não existe pensamento na população, sobretudo nos mais carentes” e emendou “nós queremos uma cidade diferente, pensada para o cidadão, em que o indivíduo possa se apossar da rua e que transite por ela sem medo de ser assaltado em plena luz do dia”. Ainda em seu discurso, o professor apontou as linhas gerais do programa de governo.

Durante a saudação à militância partidária, Caio Coêlho afirmou que a candidatura será um grande aprendizado em sua vida e rechaçou o uso da política como negócio. “Nunca tive medo dos desafios postos, e, por isso, não aceitamos aliança com fisiologistas de plantão. Política não é espaço para se servir, mas sim espaço para servir”, disse. Caio também ressaltou que não existe amarras que impeça a aliança PSOL-REDE de denunciar o modelo violento e excludente existente em nossa cidade. “Nosso programa ousa ir além do convencional, numa perspectiva de saúde diferenciada, educação em todos os setores e a defesa da sustentabilidade como compromisso com a geração atual e com as gerações futuras”, discursou.

As convenções partidárias também formalizaram a coligação para a disputa à Câmara de Vereadores. Na chapa proporcional PSOL e REDE lançarão 11 candidatos a vereador(a).
ASCOM PSOL