rio-de-contasPescadores encontraram o corpo de uma das três pessoas desaparecidas após uma canoa afundar na Barragem do Brumado, em Rio de Contas, cidade na região da Chapada Diamantina. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, a vítima é uma mulher, e foi identificada por populares como uma jovem de 25 anos. O grupo estava indo acampar quando a embarcação afundou.

Ainda de acordo com os bombeiros, o corpo flutuou e foi encontrado por pescadores na madrugada desta quarta-feira (21). Por volta das 3h, uma equipe de mergulhadores do Corpo de Bombeiros foi até o local e trouxe a vítima para a margem da barragem.

O corpo foi encaminhado para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Brumado, onde passará por necropsia e será reconhecido por familiares. As buscas pelo outros dois desaparecidos seguem durante esta quarta-feira.

Caso
Três pessoas desapareceram após a embarcação em que elas estavam afundar na Barragem do Brumado. De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o acidente aconteceu por volta das 17h30 do último sábado (17).

De acordo com o Corpo de Bombeiros, seis pessoas estavam na embarcação, uma canoa sem motor, no momento do acidente. Três delas conseguiram nadar até a margem da barragem e passam bem.

Desespero
A estudante Ana Clara Cruz, que conseguiu nadar até a margem da barragem, estava com a irmã na embarcação e lembrou do momento em que tentou salvá-la. “Quando eu fui salvar minha irmã, a outra menina me puxou pelas pernas e eu afundei. Na hora que eu fui levantar de novo, fui puxada pelo cabelo. Aí nessa hora que eu levantei, eu não consegui ver minha irmã mais”, disse.

Ana Clara contou que o grupo estava indo acampar do outro lado da barragem, e disse também que a embarcação estava com muito peso. “Tinha cerveja, refrigerante, gelo, carne em uma sacola, tinha colchão, uma barraca. A gente ia acampar do outro lado”, lembra.

Um outro sobrevivente também contou que tentou salvar os amigos e disse que chegou a ver um dos desaparecidos nadar em direção ao outro lado. “Todo mundo ficou desesperado. Eu consegui pegar o isopor, dei para duas pessoas, mas quando voltei para ajudar não tinha ninguém, um saiu nadando desgovernado”, contou.