confiançaO Indicador de Confiança do Empresariado Baiano, índice que avalia as expectativas das entidades representativas do setor produtivo do estado, calculado pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), apresentou, em maio, um quadro de menor pessimismo comparativamente ao observado no mês anterior. O ICEB marcou -135 pontos em maio, melhora de 16 pontos em relação ao de abril (-151 pontos).

O indicador voltou a avançar após recuo no mês anterior, assumindo o segundo menor nível de pessimismo dos últimos 38 meses. Apesar do progresso neste mês, a expectativa geral do empresariado baiano continuou na zona de Pessimismo Moderado – completando nove meses seguidos nessa região.

A melhora do nível de confiança, captada na passagem de abril a maio, evidenciou o avanço nos indicadores de três dos quatro grupamentos de atividades: Agropecuária (de -95 a -88 pontos), Indústria (de -136 para -105 pontos) e Comércio (de -169 para -35 pontos). O setor de Serviços (de -160 para -175 pontos), portanto, foi aquele que aumentou o pessimismo.

A Agropecuária, mesmo com o segundo avanço seguido em seu indicador de confiança, deixou de ocupar o posto de atividade menos pessimista no mês. A Indústria voltou a revelar recuo do pessimismo, após elevação captada no mês anterior. Com o único recuo da confiança entre as atividades no mês, o setor de Serviços voltou a figurar, após dois meses, como o mais pessimista. E o setor de Comércio, diante do maior progresso na confiança entre as atividades, saiu do posto de mais pessimista para o de menos pessimista de um mês ao outro.

Do conjunto de itens avaliados, Crédito, PIB Nacional e PIB Estadual foram aqueles com as piores expectativas do empresariado baiano no mês. Em contrapartida, Inflação, Juros e Exportação apresentaram os indicadores de confiança em melhor situação.

O boletim completo com as análises referentes ao mês de maio pode ser acessado diretamente do site da SEI: www.sei.ba.gov.br