Foto: Fernando Casaes/Divulgação

Foto: Fernando Casaes/Divulgação

A pouco menos de três semanas para a eleição à presidência e ao conselho deliberativo do Esporte Clube Bahia, que acontecerá no dia 9 de dezembro na Arena Fonte Nova, o candidato Fernando Jorge visita Vitória da Conquista neste sábado (25), para conversar com a embaixada tricolor da cidade, a partir das 10h.

 O empresário e engenheiro concorre ao posto de mandatário tricolor pela chapa Voltar a Sorrir, número 33, e tem como candidato à vice-presidência o radialista Antonio Tilleomont. “A política partidária tem que estar fora do Bahia. Nada contra a política partidária em si, mas futebol deve ser gerido por quem entende do assunto, quem tem experiência e quem tem amor pelo clube”, comenta o candidato Fernando Jorge, que foi homenageado pelo Esporte Clube Bahia na quinta-feira da semana passada (dia 16) com o título de Sócio Grande Benemérito, em evento do Conselho Deliberativo realizado em uma sala de reuniões na Arena Fonte Nova.

A honraria foi concedida, até o momento, a apenas três pessoas desde a democratização no clube, em 2013. Foram o advogado Carlos Rátis, em 2013, pelo seu trabalho como interventor do clube, Jorge Maia, autor da ação que culminou na intervenção, ganhou o título em 2015, e Fernando Jorge pela sua luta pela democratização e mudança de estatuto no clube, ganhou o título em 2017. 

 Carinho por Vitória da Conquista.

 A Tendo visitado Vitória da Conquista todos os anos há algum tempo, inclusive durante o São João, Fernando Jorge enxerga potencial não somente na embaixada tricolor da cidade, mas no futebol local como um todo. “O crescimento dos times do interior, principalmente do Conquista, só vai aumentar o nível do futebol baiano. Além de levar ao surgimento de novos talentos”, conta o candidato à presidência do Bahia, que não poupou elogios à cidade. “Eu sou um admirador do crescimento de Conquista em vários setores, como na parte imobiliária, de infraestrutura, comércio, entre outros. É uma grande metrópole”, disse Fernando Jorge.

 O que será conversado em Vitória da Conquista.

  O plano de gestão será apresentado pessoalmente e suas versões impressas serão distribuídas a todos os presentes. Também será aberto um debate com o candidato, que responderá às principais perguntas dos sócios. Na sexta-feira dessa semana (dia 24), um dia antes de chegar em Vitória da Conquista, o candidato viajará para Santo Antônio de Jesus para conversar com os membros da embaixada local. Já na sexta-feira da semana que vem (dia 1º), Fernando Jorge visitará Feira de Santana, com os mesmos propósitos de apresentar seus planos para os sócios que moram na cidade.

 Como funcionava o Esporte Clube Bahia antes de setembro de 2013?

Os sócios do clube não escolhiam o presidente de forma direta. Os votos eram dados a um conselho, e o conselho escolhia o presidente. “Fernando tinha entrado em duas eleições suicidas (2005 e 2008) e foi até bem-sucedido, levando em consideração que havia um conselho viciado”, relembra Jorge Maia, autor da ação que levou à intervenção no clube, o que posteriormente culminou na mudança de estatuto e primeira eleição direta para presidente. “Todo mundo sabe como funcionava o Bahia. Era uma desordem. Levamos dois anos de angústia. O time melhorava um pouco em campo, diziam que a ação ia atrapalhar o clube. Aí diziam para esperar o Bahia melhorar, mas o Bahia não melhorava nunca”, completa Jorge Maia.

Quatro anos se passaram, mas o advogado que representou a ação de Jorge Maia, Pedro Barachisio Lisboa, relembra que o que hoje parece ter sido predestinado ao sucesso, na verdade, envolveu diversos riscos e só foi conquistado com muita luta ao lado de Fernando Jorge. “Foi um processo questionado por muitos advogados no Brasil. Questionavam como um sócio poderia anular uma eleição inteira. Mas a eleição era fraudulenta. O processo de intervenção foi corajoso. Assumimos dois pactos: de trabalhar com amor e de não perdermos”, recorda o advogado.