Pesquisas sobre produção de mandiocas são desenvolvidas na Uesb há 25 anos.

E, por meio do Laboratório de Melhoramento e Produção Vegetal, há três anos, muitos dos resultados das pesquisas realizadas são difundidos na região pelo projeto de extensão “Divulgação de tecnologias para a cultura da mandioca no Sudoeste da Bahia”. A ação é executada por professores, alunos de graduação e de pós-graduação.

Esses resultados são difundidos em reuniões nas comunidades que possuem uma forte atuação na produção da cultura de mandioca. De acordo com o professor Anselmo Eloy Silveira, um dos idealizadores do projeto e vinculado ao Departamento de Fitotecnia e Zootecnia (DFZ), muitas práticas já são realizadas pelo próprio agricultor e outras são orientações para melhorar a produtividade.

É essa a essência dessa difusão de informações: ajudar a potencializar a produção dessa cultura. Segundo o professor, o aumento da produtividade chega a 20%. “Fazemos recomendação do uso de determinados tipos de manivas, a depender da localidade, e isso é feito a partir do resultado de pesquisas na própria região ou regiões semelhantes”, disse.

Atualmente, sete municípios estão sendo beneficiados pelo projeto, que conta com a parceria da Prefeitura Municipal, junto às Secretarias de Agricultura, dos municípios de Belo Campo, Presidente Jânio Quadros e Vitória da Conquista. Além disso, o Centro de Convivência e Desenvolvimento Agroecológico do Sudoeste da Bahia (Cedasb) também dá um suporte articulador no projeto.

Além dos resultados das pesquisas, são compartilhadas informações sobre o cenário e, também, a importância da produção de mandioca no país e no mundo. A iniciativa tem o intuito de mostrar aos agricultores o quão é substancial a continuidade dessa agricultura.
ASCOM UESB