abril 2020
D S T Q Q S S
« mar    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

:: ‘Meio Ambiente’

Brasileiros constroem casas ecológicas em 1/4 do tempo das convencionais

Construir casas ecológicas no menor tempo possível é a aposta de jovens profissionais, sócios da empresa Tecverde.

Fundada em 2009, em Curitiba, a companhia realiza suas obras sem o uso de tijolo, com madeira autoclavada de reflorestamento e isolamento térmico com lã de vidro ou garrafas PET.

Ao investir nesse negócio, os empresários certificaram-se de encontrar uma maneira em que a construção sustentável fosse realizada mais rapidamente do que as obras tradicionais. Além disso, eles utilizam menos mão de obra. Dessa forma, há mais incentivo ao cliente que busca um projeto benéfico para o meio ambiente.

“A gente consegue fazer a obra em um quarto de tempo de uma obra convencional economizando em 80% de resíduos e a emissão de carbono, com o dobro de conforto térmico e acústico, com quatro vezes menos mão de obra e com uma garantia muito maior de orçamento porque a obra é toda industrializada”, afirmou um dos sócios da Tecverde, o engenheiro civil Caio Bonatto.

:: LEIA MAIS »

Biodiversidade brasileira pode solucionar problemas de saúde

Respostas para muitas doenças podem ser encontradas na biodiversidade brasileira.

Para tentar descobri-las, pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), testam plantas de vários biomas. Alguns exemplares já se mostraram eficazes contra bactérias e fungos causadores de infecções.

O coordenador do projeto no Rio, o químico Humberto Ribeiro Bizzo estuda as propriedades de espécies de plantas em laboratório desde 2012.

Neste período, constatou que a sacaca (planta de origem amazônica) deu resultados positivos contra uma bactéria que é encontrada em infecções em hospitais e contra a candidíase, doença predominante em mulheres.

:: LEIA MAIS »

Cana de açúcar gera energia para 100 mil residências

As sobras dos bagaços de cana vêm sendo utilizadas para levar eletricidade a regiões do norte de Alagoas.

Antes considerados como um grave problema ambiental, os resíduos hoje são utilizados pela principal usina hidrelétrica da região, e têm capacidade de abastecer cerca de cem mil residências no estado nordestino.

Localizada na cidade de São Luís do Quitunde, a indústria que transforma cana de açúcar em energia investiu cerca de R$ 15 milhões para concretizar o projeto do novo método de geração. Hoje em dia, a comercialização da biomassa rende 5% dos lucros da empresa.

No verão, quando os níveis dos reservatórios das usinas hidrelétricas diminuem, os resíduos de cana dão conta de suprir a demanda de energia hidrelétrica das cidades de Matriz do Camaragibe e São Luís do Quitunde, onde está localizada a usina Santo Antônio, a maior da região, cujas máquinas também são movidas pela biomassa da cana.

O desenvolvimento da nova fonte de geração limpa fez surgir um novo termo para este tipo de indústria, hoje nomeado como sucroenergético, já que a produção deixa de ser apenas sucroalcooleira, passando a incluir também a geração de energia verde em suas atividades.

:: LEIA MAIS »

Empresa brasileira lança sandália que se desintegra após 5 anos de desuso

A Amazonas Sandals está lançando uma linha de sandálias que contribuem para o equilíbrio ecológico do planeta. A linha Bio Rubber é desenvolvida a partir de uma borracha biodegradável vulcanizada, obtida através do látex natural extraído das seringueiras da Amazônia.

Esse material, desenvolvido pelo Centro de Tecnologia AMAZONAS, se degrada após cinco anos de desuso, ou seja, 50 vezes mais rápido do que a borracha sintética – que leva cerca de 500 anos para ser absorvida pelo meio ambiente.

A empresa ressalta que a sandália não irá se desintegrar enquanto estiver guardada no armário. Para que ocorra a decomposição, o modelo precisa ser descartado em condições favoráveis, em um ambiente com água, gás carbônico e terra, como um aterro sanitário, por exemplo.

:: LEIA MAIS »

Vivo lança antena 4G ecológica

No início do mês de março, a operadora de telefonia Vivo apresentou a primeira antena 4G, que possui como características o baixo impacto visual e ambiental. Com tecnologia 100% nacional, o equipamento foi instalado próximo ao Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, no Distrito Federal.

A tecnologia foi apresentada em uma cerimônia no Clube do Choro com a presença do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. De acordo com a empresa, o novo produto utiliza postes já existentes, o que evita a construção de novas torres, além de oferecer um visual mais limpo e consumir menos energia.

“Esse trabalho para criar uma nova norma de licenciamento e instalação do equipamento com certeza ajuda a resolver questões de tecnologia de telefonia móvel e implantação da rede 4G, mas também vai servir de exemplo para todo o Brasil”, destacou o ministro. :: LEIA MAIS »

Relatório da ONU prevê ‘catástrofe ambiental’ no mundo em 2050

Apesar dos investimentos de vários países em energias renováveis e sustentabilidade, o mundo pode viver uma “catástrofe ambiental” em 2050, segundo o Relatório de Desenvolvimento Humano 2013, apresentado nesta quinta-feira (14) pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).

Ao fim dos próximos 37 anos, são estimadas mais de 3 bilhões de pessoas vivendo em situação de extrema pobreza, das quais pelo menos 155 milhões estariam na América Latina e no Caribe. E essa condição demográfica e social seria motivada também pela degradação do meio ambiente e pela redução dos meios de subsistência, como a agricultura e o acesso à água potável.

De acordo com a previsão de desastre apresentada pelo relatório, cerca de 2,7 bilhões de pessoas a mais viveriam em extrema pobreza em 2050 como consequência do problema ambiental. Desse total, 1,9 bilhão seria composto por indivíduos que entraram na miséria, e os outros 800 milhões seriam aqueles impedidos de sair dessa situação por causa das calamidades do meio ambiente.
:: LEIA MAIS »

Bahia incentiva descarte correto de remédios em farmácias

O Ministério Público da Bahia lançou uma campanha para incentivar o descarte correto de medicamentos.

A ação começou no início do ano e, desde então, já coletou pelo menos 41 quilos de embalagens em dez postos de coleta espalhados em Salvador.

A iniciativa orienta o descarte de medicamentos vencidos ou sem utilização. Em cada estabelecimento foi colocado um aparelho de coleta para que qualquer tipo de remédio e/ou de embalagem possa ser depositado.

O dispositivo é chamado de preservômetro e reúne informações sobre a quantidade de remédio descartado pela população para que sejam feitos relatórios à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A campanha é realizada através do Grupo Técnico de Medicamentos (GTM). Para a farmacêutica e integrante do GTM, Bárbara Correa, espera-se que cada unidade receba, mensalmente, pelo menos dois quilos de medicamentos, o que já vem ocorrendo nos pontos de coleta instalados.

:: LEIA MAIS »

Embasa confirma volta do racionamento de água em Vitória da Conquista



TV Sudoeste

Outdoor produz água potável a partir da umidade do ar

Um outdoor que aproveita a umidade do ar para produzir água limpa foi criado pela agência de publicidade Mayo DraftFCB, em parceria com a Universidade de Engenharia e Tecnologia de Lima (UTEC).

O painel foi instalado na capital peruana, que sofre com a escassez de água potável.

O outdoor possui um sistema que absorve as partículas de água presentes na atmosfera e, logo depois, filtra o líquido adquirido, para que as pessoas possam consumi-lo sem nenhum problema.

A estrutura possui um tanque capaz de armazenar mais de 95 litros de água, os quais são distribuídos para a população através de uma torneira simples, instalada na base que sustenta o painel de propagandas. Segundo os criadores do projeto, a estrutura é capaz de reservar água potável por até três meses.

:: LEIA MAIS »

Tecnologia reaproveita garrafas PET na produção de colchões

Já é possível ser sustentável até na hora de dormir. Isso porque a empresa Trisoft desenvolveu um sistema que reaproveita garrafas plásticas para fabricar colchões. O produto substitui as lâminas de espuma e de feltro que são utilizadas nos modelos tradicionais.

O processo é simples: as garrafas são coletadas, lavadas e transformadas em flocos. Logo depois eles são processados por um maquinário.

O sistema, chamado de PETFOM, inclui prensa, corte, lavagem, secagem, além do uso de máquinas extensoras, estiradoras e estufas, para dar forma à fibra.

Em um colchão de casal são reaproveitadas 1.260 garrafas. É uma opção boa para o meio ambiente, pois reduz a quantidade de resíduos e evita o uso de outros recursos da natureza. A empresa também se beneficia a partir do momento que economiza no investimento que deveria ser dado em matérias-primas totalmente novas.

:: LEIA MAIS »

Sem chuvas, níveis das barragens continuam caindo

A ausência da ocorrência das fortes chuvas registradas durante o verão do Nordeste brasileiro tem contribuído para que o volume das barragens de Água Fria I e II continue baixando sem recuperar os níveis dos mananciais. Desde novembro, quando foram registradas as primeiras precipitações na bacia das barragens, o saldo representa um acumulo de apenas 1,300 milhão/m³.

Nesta segunda, (25/02), o reservatório de Água Fria II registra o volume de 4.800 milhões/m³, ou seja, 75% de sua capacidade total, o que significa estar dois metros abaixo do nível de extravasamento. No quadro comparativo com o mesmo período, no ano de 2013 a barragem se encontrava com 1,1 milhão/m³ a mais, ou seja, eram 5.900 milhões/m³ armazenados, antes da ação ilegal dos irrigantes. Já Água Fria I, com capacidade de armazenamento inferior, está com um volume de 98 mil/m³, o que representa 56%.
:: LEIA MAIS »

Nokia deve lançar bateria carregada por luz solar ainda este mês

A Nokia poderá lançar, em parceria com a empresa WYSIPS, um smartphone com tecnologia que usa painéis de carregamento solar para prolongar a vida da bateria.

O anúncio deve ser feito durante a Mobile World Congress, maior feira de telecomunicações do mundo, que ocorre em Barcelona, Espanha, entre 25 e 28 de fevereiro.

A WYSIPS está desenvolvendo superfícies de carregamento solar que podem ser integradas às telas com o objetivo de aumentar a duração da bateria em 20%.

A empresa afirma que os primeiros telefones com tal tecnologia podem chegar ao mercado no terceiro trimestre de 2013. A Nokia desponta como a empresa que irá realizar a parceria.

:: LEIA MAIS »

Grupo retira 1,3 tonelada de lixo do mar na Barra, em Salvador

Cerca de 1.300 kg de lixo foram recolhidos do fundo do mar da Barra, entre o Cristo e o Porto, durante esta quinta-feira, 14,, em uma ação de limpeza do Projeto Fundo Limpo, promovido pela Escola de Mergulho Galeão Sacramento. Latas, garrafas plásticas, pneus, restos de redes para pesca, sacos, vidro e até mesmo uma enceradeira fizeram parte do material recolhido.

De acordo com o mergulhador Bruno Rocha, que coordenou um grupo com 20 ex-alunos, o objetivo é medir o impacto do lixo resultante das atitudes de consumo da população que frequentou a folia na Barra. Na primeira etapa, dia 6, primeiro dia de Carnaval, foi retirada quase meia tonelada de resíduos (485 kg), com 914 objetos.

Conforme Bruno, a ação ocorria de maneira pontual entre 2004 e 2011, em setembro, no Clean Up Day – Dia Mundial de Limpeza das Praias: “Percebemos a necessidade de ampliar esse trabalho, passando a fazê-lo quatro vezes ao ano”.
:: LEIA MAIS »

Turbina eólica aproveita vapor e o calor do sol para gerar energia

A empresa norte-americana Clean Wind Tower, Inc. desenvolveu um projeto de turbina eólica eficiente até mesmo em locais com ventos fracos.

A tecnologia aplica conceitos físicos, como o aproveitamento da força produzida pelo vapor, à utilização dos ventos.

A turbina é bem diferente das tradicionais eólicas, com pás gigantes que lembram cata-ventos. A Clean Wind Power, vista de fora, parece ser apenas um grande cilindro, com 675 metros de altura.

Ele é internamente oco e em sua abertura superior possui um sistema de pulverização de água, usada para esfriar o ar quente e seco que entra no tubo.

Este processo faz com que o ar torne-se mais denso e pesado do que o exterior, assim, quando ele cai, ganha velocidade de até 80 km/h. Ao chegar à parte inferior da torre, ele é direcionado efetivamente às turbinas eólicas, movimentando-as e gerando eletricidade.

:: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia