julho 2019
D S T Q Q S S
« jun    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

:: ‘Adusb’

Greve Uesb: Mobilização contra o anúncio do corte de salários acontece na terça-feira (30)

O Comando de Greve da Adusb promoverá mobilização na terça-feira (30). Vamos denunciar o anúncio do corte de salários e defender a autonomia universitária. A atividade contará com café da manhã das 7h às 9h em frente aos portões dos três campi da Uesb. Também teremos a roda de conversa “A ética na greve”. Participe e fortaleça a luta em defesa das universidades e dos direitos trabalhistas.
Nota do Comando de Greve da Adusb sobre o anúncio de cortes de salários e o lançamento de faltas

Desrespeitando os direitos dos professores e das professoras das universidades públicas estaduais, o governo Rui Costa (PT) anunciou o corte de salários e lançou faltas injustificadas para um conjunto arbitrário de docentes. É mais uma ação de retaliação ao movimento sindical, na linha ultraconservadora do governo Bolsonaro. Ao atacar a greve, um instrumento legítimo da luta dos trabalhadores na defesa de seus direitos, o governador parece esquecer sua história política, forjada à frente do movimento sindical.

Ao longo da luta do movimento docente em defesa das universidades estaduais, o corte dos salários tem sido utilizado como medida de intimidação, de modo a desmobilizar a categoria. Agora, além do anúncio dos cortes, o governo estadual lançou faltas diretamente no sistema informatizado de controle de frequência, o RH Bahia, numa manobra arbitrária e ilegal, que fere a autonomia administrativa da Universidade, garantida pelas Constituições federal e estadual. :: LEIA MAIS »

Professores da Uesb permanecem em greve e cobram do governo avanço nas negociações

assembleia 24-04-19Sem votos contrários, a assembleia dos professores da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) decidiu na manhã da quarta-feira (24) pela continuidade da greve. A proposta apresentada pelo governo Rui Costa de liberação de 900 promoções nas Universidades Estaduais da Bahia não atende nem mesmo a fila dos docentes que aguardam por seus direitos trabalhistas. A categoria avaliou como positiva a abertura do diálogo, porém ainda é preciso que o governo avance na negociação da pauta protocolada desde 2015. Dados do Portal da Transparência mostram que há viabilidade financeira para a construção de uma proposta mais robusta, que de fato atenda às necessidades.

De acordo com estudo da Associação dos Docentes da Uesb (Adusb), a partir de setembro, diversos docentes irão adquirir direito à promoção na carreira e o número de pedidos será maior que o atual. Portanto, é fundamental lutar pela desvinculação das vagas por classe. É a única forma de impedir o represamento das promoções de agora em diante.

É essencial também que o governo inicie o debate transparente sobre o orçamento das Universidades Estaduais e o reajuste salarial dos professores, que há quatro anos não recebem sequer reposição da inflação. Os R$ 36 milhões liberados pelo governador não são recursos extra, mas parte dos recursos contingenciados e de receita gerada pelas próprias instituições. A justificativa da não discussão do reajuste por conta dos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal é infundada e não convence. :: LEIA MAIS »

Em Vitória da Conquista, Rui Costa falta em cerimônia para fugir do diálogo com movimento docente

O autoritarismo e a falta de disposição para negociar do governo Rui Costa foram comprovados mais uma vez na noite de terça-feira (03/07). O gestor esteve em Vitória da Conquista para inauguração do Centro de Cultura Camilo de Jesus Lima e receber o prêmio de cidadão conquistense.

A Adusb esteve presente na Câmara de Vereadores para entregar novamente a pauta de reivindicações da categoria e cobrar o agendamento de reunião de negociação. Pressionado, o governador alterou sua agenda e transferiu o evento para o Centro de Cultura, onde professoras e professores da Uesb denunciaram os ataques ao serviço público e às Universidades Estaduais da Bahia, mesmo com as tentativas de intimidação da Polícia Militar para que não exercessem seu direito à liberdade de expressão.

Ainda na Câmara de Vereadores, docentes que ocupavam o plenário foram constrangidos pela segurança do governador. O diretor da Adusb, Vinícius Correia, foi abordado para mostrar o conteúdo do cartaz que carregava. Alguns minutos depois do ocorrido, com o espaço lotado e para surpresa do público, inclusive das autoridades locais, foi anunciado que Rui Costa seguiria direto ao Centro de Cultura. Atitude extremamente irônica, visto que tudo leva a crer que o governador deixou de comparecer à “Casa do Povo” exatamente para não ouvir as demandas da população.

:: LEIA MAIS »

Seminário Gênero, Raça e Classe acontecerá nos dias 8 e 9 de março

PROV_seminário-gênero,-raça-e-classe-2018_whatsRacismo, machismo, LGBTfobia e assédio serão amplamente discutidos nos dias 8 e 9 de março na Uesb, campus Vitória da Conquista. A iniciativa é da Adusb por meio do Seminário “Gênero, Raça e Classe”. O evento acontecerá no auditório do Módulo IV e contará com a presença de diversos pesquisadores e militantes do combate às opressões.

O seminário pretende aprofundar o entendimento das opressões como estruturais ao sistema capitalista e apontar perspectivas de enfrentamento dessas violências. É também uma ação de continuidade à iniciativa das rodas de conversa contra o assédio, realizadas em 2017, pelo Grupo de Trabalho de Política de Classe Para Questões Etnicorraciais, Gênero e Diversidade Sexual (GTPCEGDS) da Adusb nos três campi da Uesb. :: LEIA MAIS »

Indicativo de greve é aprovado por professores da UESB

02Em protesto contra o descaso do governo Rui Costa (PT), professoras e professores da UESB aprovaram, na manhã dessa terça-feira (18), indicativo de greve. A pauta de reivindicações do movimento docente foi protocolada em dezembro do ano passado e o Estado tem protelado as negociações.

A categoria avalia que apesar das publicações das promoções e progressões da sexta-feira (14) e sábado (15), o governo precisa negociar com o Fórum das ADs os demais pontos de reivindicação, especialmente os que atendem todos docentes, inclusive os aposentados, como a pauta salarial. Vale lembrar também que a retroatividade financeira devida não foi assegurada às promoções e progressões veiculadas na semana passada no Diário Oficial.

O presidente da Adusb, Sérgio Barroso, ressalta a necessidade da mobilização da categoria. “A publicação das promoções e progressões é um avanço importante, mas o que foi publicado contempla menos da metade da demanda. Além disso, não podemos esquecer que as pautas salarial e orçamentária são também importantes. É preciso fortalecer a luta para pressionar o governo a atender toda nossa pauta”, afirma o presidente. :: LEIA MAIS »

Governo da Bahia nega concursos e deixa milhares de estudantes sem aula na UESB

unnamedA Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) enfrenta uma grave crise orçamentária. O ensino, uma das suas atividades mais básicas, está afetado com a recusa do governo Rui Costa (PT) em liberar concursos e seleções públicas.

Nos últimos dois anos, 36 professores (entre efetivos e substitutos) deixaram de ser contratados. Significa dizer que cerca de 110 disciplinas não foram oferecidas para prejuízo dos cerca de 10.000 estudantes da Universidade.

Segundo dados da Assessoria de Gestão de Pessoas da UESB, de junho de 2015 a junho de 2017, a Câmara de Graduação (CGRAD) aprovou a solicitação de 47 vagas para docentes efetivos e 59 vagas para professores substitutos.   :: LEIA MAIS »

Professores da UESB paralisam atividades e realizam ato público no dia 18 de abril

novo_banner_adusbO governo Rui Costa destinou à UESB em 2017 R$ 15 milhões a menos que o necessário para o seu funcionamento básico. A atitude compromete as atividades de ensino, pesquisa e extensão. Mais de 200 professores estão com direitos trabalhistas descumpridos e a reposição inflacionária não é paga há dois anos. Para pressionar o Estado a avançar nas negociações, o Fórum das Associações Docentes das Universidades Estaduais da Bahia (Fórum das ADs) realizará ato público no dia 18 de abril em Salvador. Professoras e professores da UESB paralisarão atividades na data.

Conheça a pauta de reivindicações 2017. 

Contingenciamento

Além do orçamento insuficiente, o governo não repassa todo recurso às Instituições. Em 2016, R$ 3,1 milhões não foram pagos e se somaram à dívida referente a despesas de anos anteriores (DEA). Metade do valor das cotas de janeiro, fevereiro e abril também foi contingenciada. A falta de orçamento prejudica a compra de materiais para laboratórios e livros, pagamento de fornecedores, terceirizados e outras despesas.
:: LEIA MAIS »

Professores das Universidades Estaduais aprovam indicativo de greve geral e fazem paralisação

02Na quarta-feira (20), os professores das Universidades Estaduais farão paralisação de atividades para realização de ato público, em Salvador, contra a redução de verbas da educação e pelo respeito aos direitos trabalhistas.

Os docentes também aprovaram indicativo de greve geral dos servidores públicos da Bahia. Além dos professores, vários segmentos do funcionalismo estarão mobilizados pelo pagamento integral do reajuste linear, contra o PLP 257 e a PEC 241.

A comunidade universitária denunciará os problemas orçamentários das Instituições. A concentração da manifestação ocorrerá na Praça Newton Rique, em frente ao Shopping da Bahia (antigo Iguatemi), a partir das 8h30min.

Direitos trabalhistas

Há três anos o governo tem efetuado o pagamento do reajuste linear parcelado, conferindo perdas aos trabalhadores. Em 2016, não há qualquer sinalização de que o governador Rui Costa conceda o direito trabalhista. O confisco salarial é de 10,67% para os mais de 267 mil servidores. :: LEIA MAIS »

Deputado José Raimundo rejeita emenda que garante 7% da RCL para as universidades

José Raimundo FontesA Assembleia Legislativa demonstrou mais uma vez que não está a serviço do povo baiano. A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2017 foi aprovada no dia 16 de junho pelos deputados governistas, sem a previsão dos recursos necessários para as Universidades Estaduais (UEBA).

O professor aposentado da UESB, deputado José Raimundo Fontes (PT), foi relator do projeto e rejeitou em seu parecer a proposta de emenda encaminhada pela Bancada da Minoria de destinação de 7% da receita corrente líquida (RCL) para as UEBA.

A LDO é o instrumento utilizado para estabelecer linhas gerais para a elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA). Ao descartar a referida emenda, o deputado José Raimundo e demais parlamentares da base do governo deixaram claro que compactuam com o projeto de destruição das Universidades Estaduais da Bahia, que estão com atividades comprometidas pela falta de orçamento.

O parecer do relator deixa clara a manutenção do compromisso do governo Rui Costa com o capital financeiro, ao priorizar o pagamento da dívida pública e não a formação dos jovens baianos. “As metas para os indicadores fiscais do Estado foram estabelecidas de modo a evidenciar o compromisso do Governo com a sustentabilidade da dívida e com os princípios de responsabilidade fiscal no gasto dos recursos públicos”, afirma o documento.

:: LEIA MAIS »

Semana de Luta em Defesa da Uesb

novo_banner_adusbDurante os dias 23 e 25 de maio ocorrerá a Semana de Luta em Defesa da Uesb. Diversas atividades estão previstas como debates, prestação de serviços, oficina de cartazes e paralisação.

Estudantes, professores e servidores técnico-administrativos estão mobilizados e convidam a comunidade a resistir em defesa das universidades públicas. As atividades fazem parte da Semana de Mobilização do setor das Instituições Estaduais e Municipais (IEES/IMES) do Andes-SN.

O Governo tem atacado as Universidades Estaduais da Bahia (UEBA). Desde 2013, seguidos cortes e medidas restritivas foram tomadas. Atualmente, as UEBA acumulam um déficit de R$ 73 milhões. Na Uesb, o cenário se agrava com a falta de professores e servidores técnicos, materiais de laboratórios e verbas para pesquisa, extensão e permanência estudantil. Atualmente, cerca de 180 disciplinas estão sem professores.

:: LEIA MAIS »

A impunidade do Governo Rui Costa: A quem serve os Três Poderes na Bahia?

Ao final de novembro do ano passado, o governador Rui Costa autorizou a retirada do adicional de insalubridade de quase todo funcionalismo público da Bahia.

Desde fevereiro de 2016 os professores da UESB possuem decisões favoráveis da Justiça que comprovam a ilegalidade do corte e solicitam o imediato retorno do direito.

Apesar das inúmeras cobranças jurídicas do sindicato, o governo continua a desrespeitar o Judiciário.

Poderá o governo, sem qualquer penalidade, continuar a realizar seus mandos e desmandos, tal qual realiza com o Poder Legislativo? A Adusb denuncia a impunidade e exige uma resposta urgente para a garantia do direito aos trabalhadores.

No período imperial brasileiro (1822-1889), o sistema político vigente era a Monarquia Constitucional. Além do Executivo, Legislativo e Judiciário, existia também o Poder Moderador, exercido pelo imperador para controlar e desequilibrar os demais, quando esses não estivessem afinados aos interesses do monarca.

Tais semelhanças podem ser facilmente observadas nos dias de hoje na atuação do governador Rui Costa. Desde o início da sua gestão, o Executivo tem encaminhado projetos de lei à Assembleia Legislativa em regime de urgência. Por meio de sua ampla base de deputados, sem discussão apropriada e tempo devido, aprova absolutamente tudo o que é enviado. Não importa inclusive se as novas leis se configurarão como ataques ao povo que os elegeu como representantes. Assim se comportam os parlamentares governistas.

:: LEIA MAIS »

Curso de Formação Política da Adusb debaterá reforma agrária

A violência no campo e a luta pela reforma agrária serão abordadas pela terceira etapa do Curso de Formação Política e Sindical da Adusb. O evento acontecerá no dia 26 de abril, às 19h, no Auditório II do Módulo Luizão, na UESB, campus Vitória da Conquista.

A palestra “De Eldorado dos Carajás a Quedas do Iguaçu: um debate sobre reforma agrária” será ministrada por Márcio Zonta (Coordenação Nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e Walcyr Barros (Coordenador do Grupo de Trabalho de Política Agrária, Urbana e Ambiental do ANDES).

Em abril de 1996, 21 militantes do MST foram mortos pela Polícia Militar do Pará, em Eldorado dos Carajás. Em 2016, no dia 7 de abril, dois trabalhadores foram assassinados e outros sete ficaram feridos em uma emboscada da Araupel – uma empresa madeireira – e da Polícia do Estado do Paraná em Quedas do Iguaçu.

:: LEIA MAIS »

Fórum das ADs reivindica abertura das negociações e repudia postura da CODES

Em ofício protocolado no dia 11 de abril, o Fórum das Associações Docentes das Universidades Estaduais da Bahia (Fórum das ADs) reivindicou junto às Secretarias de Administração, Educação, Relações Interinstitucionais a abertura imediata das negociações da pauta da categoria, protocolada em dezembro do ano passado.

As Associações Docentes também cobram a exoneração do Coordenador do Desenvolvimento do Ensino Superior (CODES), Paulo Pontes, do cargo devido à sua postura desrespeitosa em reunião no dia 7 de abril e inabilidade política. Além disso, exigem reunião urgente com o governador Rui Costa e seus secretários.

O documento manifesta preocupação com os direitos trabalhistas e as Universidades Estaduais da Bahia diante da apresentação do projeto 257/2016 do governo federal, pois o impedimento na concessão de promoções e progressões fere o Estatuto do Magistério Superior (lei 8.352/02).

:: LEIA MAIS »

10 Motivos para repudiar o Governo Rui Costa (PT) e seus aliados

novo_banner_adusbO Governo Rui Costa e sua base de deputados da Assembleia Legislativa vêm orquestrando o maior ataque aos direitos dos servidores públicos estaduais. Ao invés de defender e qualificar ainda mais o serviço público, o governo do PT ataca os que realmente trabalham e não gozam de privilégios.

1- Na Bahia, 34 mil servidores públicos receberão abaixo do salário mínimo

Há três anos o estado da Bahia, governado pelo PT, realiza o pagamento parcelado do reajuste linear dos servidores públicos baianos. Em 2015, mais de 34 mil trabalhadores receberam salários abaixo do mínimo até o mês de novembro. O governador Rui Costa já anunciou que pretende conceder 0% de reajuste salarial aos servidores em 2016, mesmo com a inflação de 10,46%.

2- Com a criação do PREVBAHIA, a aposentadoria integral foi extinta

Os funcionários que ingressaram no serviço público da Bahia após o início de 2015 terão como teto da aposentadoria o limite previsto pelo INSS. O governo criou o fundo de previdência complementar, PREVBAHIA. Isso significa que após anos de trabalho servindo à população baiana, os aposentados e pensionistas terão os seus rendimentos reduzidos quando mais precisarão de assistência médica e cuidados.

3- Alteração das regras para concessão de pensão por morte :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia