dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

:: ‘Adusb’

Professores da UESB divulgam moção de repúdio aos deputados e governo Rui Costa

Rui Costa, mais uma vez, usa a repressa?o policial para tentar silenciar a populac?a?o baiana

Adusb 1A Adusb vem a pu?blico repudiar de forma veemente a viole?ncia da Poli?cia Militar e da Seguranc?a da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), a mando do presidente da ALBA, deputado Marcelo Nilo, com a conive?ncia dos parlamentares da base governista, durante o ato pu?blico do dia 9 de dezembro de 2015.

Entre os deputados, Jose? Raimundo Fontes – fundador e primeiro presidente da Adusb – foi incapaz de intervir no sentido de preservar a integridade física dos nossos estudantes e professores. O sindicato considera inadmissi?vel o uso de qualquer tipo de viole?ncia para coagir a populac?a?o a na?o expressar livremente sua insatisfac?a?o com os ditos representantes do povo.

Na ocasia?o, servidores pu?blicos e estudantes universita?rios realizaram protesto paci?fico contra uma se?rie de projetos encaminhados ao Legislativo pelo governo Rui Costa (PT). Os PLs retiram e restringem direitos trabalhistas, ale?m de propor um Programa de Permane?ncia Estudantil draconiano, o chamado “pacote de maldades”. Policiais e seguranc?as bloquearam os acessos a? Casa do Povo e agiram com grande viole?ncia contra os manifestantes na tenta va de reprimir os protestos, o que gerou ferimentos em estudantes. :: LEIA MAIS »

Comunicado: professoras e professores da UESB vão paralisar suas atividades

youtube_profileA Associação dos Docentes da UESB vem a público informar os motivos que levaram a categoria a aprovar em sua última assembleia, realizada em 3 de dezembro, paralisação das atividades entre os dias 7 e 11 de dezembro. Professoras e professores protestam contra retirada de direitos trabalhistas, crise orçamentária das Universidades Estaduais da Bahia (UEBA) e em defesa de uma permanência estudantil adequada.

A categoria entende a luta como única forma possível de enfrentar a política de desmonte do serviço público e das UEBA, promovida pelo governo Rui Costa (PT) com a conivência dos deputados governistas na Assembleia Legislativa (ALBA).

Direitos trabalhistas

O ano de 2015 foi marcado por ataques aos direitos constituídos do funcionalismo público baiano. Foram aprovadas a criação do PREVBAHIA – regime de previdência complementar que pôs fim à aposentadoria integral dos servidores –, alterações das regras da pensão por morte e mudanças no PLANSERV – diminuição da contribuição do Estado e ampliação da parcela dos trabalhadores. No dia 27 de novembro, o governo enviou à ALBA uma série de projetos de lei, o “pacote de maldades”, que pretende alterar a concessão de férias, licença prêmio, estabilidade econômica e extinguir a licença sabática. :: LEIA MAIS »

Adusb debate crise e situação dos trabalhadores nos EUA, América Latina e Ásia

banner palestra steve siteNo dia 16 de novembro, a Adusb realizará mais uma atividade de formação, dessa vez com o jornalista estadunidense, Steve Zeltzer.

A palestra “Crise do capital e a situação dos trabalhadores nos Estados Unidos, América Latina e Ásia” tem como objetivo debater os reflexos da crise na vida da classe trabalhadora internacional, bem como estratégias possíveis de organização. O evento acontecerá no auditório II do Módulo Luizão às 16h, na UESB campus Vitória da Conquista.

Steve Zeltzer é ativista pela solidariedade internacional entre trabalhadores. É um dos principais organizadores do Laborfest (evento cultural e político que divulga temas relacionados ao mundo do trabalho de diversos países).

:: LEIA MAIS »

Governo Rui Costa (PT) ataca Universidades e não destina recursos necessários para 2016

novo_banner_adusbEm setembro, o governo Rui Costa apresentou a proposta orçamentária do ano que vem para as Universidades Estaduais da Bahia (UEBA).

Mesmo com a denúncia veemente do Movimento Docente sobre a crise financeira instaurada nas Instituições desde 2013, o governo pretende destinar mais uma vez recursos insuficientes. Se a situação atual é grave, devido às dificuldades enfrentadas para fechar as contas, o quadro se tornará insustentável em 2016.

O governo da Bahia não realiza o equilíbrio entre a folha de pessoal e as verbas de manutenção, investimento e custeio. Utiliza ainda o discurso do crescimento do orçamento total das Universidades para confundir a opinião pública. Todavia, não é dito, que o valor destinado ao pagamento de bolsas, infraestrutura, materiais, combustível, passagens, água, luz e terceirizados é reduzido a cada ano.

Apenas na UESB, a soma dos cortes destas verbas nos últimos dois anos ultrapassa os R$ 6,5 milhões. Em 2016, a Universidade receberá o mesmo valor de 2015 para as verbas de manutenção, investimento e custeio, montante comprovadamente insuficiente para as demandas.

:: LEIA MAIS »

Doe livros e exponha seu projeto no ato público “Educação na Praça”

Contribua com a construção do ato público “Educação na Praça” em Vitória da Conquista, no dia 28 de agosto, expondo seu projeto de pesquisa e/ou extensão para a comunidade.

Solicitamos também aos docentes que doem livros para serem vendidos a preços simbólicos.

Os(As) professores interessados(as) em apresentar seus trabalhos devem entrar em contato com a Adusb até o dia 25 de agosto para que o sindicato providencie a infraestrutura necessária.

:: LEIA MAIS »

Professores da UESB aceitam proposta e continuam em greve até que o acordo seja assinado

GREVE NA UESBReunidos em assembleia, nessa terça-feira (4), os professores da UESB decidiram por manter a greve até que o acordo seja assinado. A proposta aceita pela categoria garante o respeito aos direitos trabalhistas, assegura a autonomia universitária e o repasse integral do orçamento 2015 das Universidades. Os docentes avaliaram a greve como vitoriosa e afirmaram que se manterão mobilizados por mais recursos para as Universidades, implantação do orçamento participativo na UESB e estarão com os estudantes na luta pela permanência estudantil. A reunião para assinatura do acordo acontecerá na quinta-feira (6), com horário a ser definido.

A irresponsabilidade do governo
De forma desrespeitosa e irresponsável, o governo Rui Costa não apresentou o termo de compromisso, com agenda de reuniões para discutir o planejamento 2016. Como as assembleias do dia 30 de julho condicionaram assinatura do acordo à apresentação do referido documento, os representantes docentes voltaram às suas bases para discutir a situação. :: LEIA MAIS »

Governo divulga pagamento de promoções e progressões em maio, mas não libera recursos

novo_banner_adusbÀs vésperas da deflagração da greve, o governo Rui Costa (PT) publicou no Diário Oficial dos dias 05 e 16 de maio, 20 promoções e 66 progressões retidas.

Em nota da Secretaria de Educação, o coordenador do Desenvolvimento do Ensino Superior (CODES), Paulo Pontes, afirmou que “os processos que se encontravam na Secretaria de Administração seriam pagos na folha do mês de maio”. Entretanto, apesar da propaganda do governo, nada chegou aos contracheques da categoria.

Em uma clara estratégia para ganhar o apoio da opinião pública, o governo divulga inverdades sobre o processo de negociação com o Movimento Grevista. Os processos publicados no Diário Oficial, e não implementados na folha de pagamento, são uma pequena amostra do quanto o governo distorce as informações para confundir a comunidade acadêmica.

Segundo informações da Gerência de Recursos Humanos da UESB, o pagamento das promoções e progressões depende da autorização da SAEB, que ainda não o fez. A GRH também afirmou que os dados necessários para a liberação dos recursos foram enviados pela Universidade. Já os cálculos referentes à retroatividade, serão feitos após o lançamento nos contracheques.

:: LEIA MAIS »

Porque a greve continua nas Universidades Estaduais Baianas

10476402_1000326030002382_1417779313080880056_nO Governador da Bahia, Rui Costa (PT), tem levado as Universidades Estaduais (UESB, UNEB, UESC e UEFS) a uma trágica crise. O seu Governo realiza cortes de verbas e inviabiliza não apenas as atividades de ensino, pesquisa e extensão, mas até mesmo a manutenção das despesas básicas, tais como pagamento de energia, telefone, correio, segurança e limpeza. Soma-se a este descaso a total ausência de uma política voltada à permanência estudantil, que garanta as condições mínimas para os nossos alunos.

É importante lembrar que as Universidades Estaduais da Bahia são responsáveis pela formação de milhares de jovens e influenciam diretamente no desenvolvimento das regiões onde estão inseridas. Todavia, o Governo ao invés de investir na ampliação e melhoria dessas instituições, que cumprem uma relevante função social, tem reduzido o investimento no ensino superior público e de qualidade do Estado. Tal política fere os interesses do povo baiano e pode significar a destruição destas universidades. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia