dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

:: ‘bebê de proveta’

40 anos do bebê de proveta e os avanços da medicina reprodutiva

Em 25 de julho de 1978 nascia na Inglaterra Louise Joy Brown, a primeira bebê de proveta do mundo.

O procedimento criado por pesquisadores britânicos revolucionou a medicina reprodutiva com o método inovador de juntar os óvulos com os espermatozoides dentro de um laboratório, transferindo posteriormente os embriões para o útero.

A realização desse procedimento foi o pontapé inicial para o avanço tecnológico que permitiu ampliar as possibilidades de tratamento da fertilidade.

Para se ter dimensão do quanto a medicina reprodutiva evoluiu nos últimos 40 anos, até o final da década de 1980 as chances de sucesso nas fertilizações não ultrapassavam 15%.

Não existia o ultrassom transvaginal, os laboratórios e os equipamentos eram bem menos desenvolvidos e o procedimento era realizado por meio de laparoscopia, tornando-o mais arriscado e menos eficaz. Diante desse cenário, as chances de uma gravidez acontecer eram quase nulas.

De lá para cá muita coisa mudou. O método para realização de uma fertilização in vitro (FIV) hoje é minimamente invasivo. A evolução tecnológica possibilita que as chances de sucesso no tratamento variem de 50% a 60% em mulheres de até 35 anos. A técnica evoluiu tanto que, a cada ciclo de fertilização in vitro, a chance de gravidez é maior do que em um ciclo natural de um casal jovem e saudável.

No Brasil, o primeiro bebê de proveta nasceu em 1984 no interior do Paraná. Nesta época, ainda não estava disponível no país a tecnologia para avaliar a qualidade dos embriões e, com isso, os médicos optavam por transferir vários embriões em desenvolvimento. O entendimento era que quanto mais embriões o útero recebesse, maior seria a chance de uma gravidez.

:: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia