julho 2020
D S T Q Q S S
« jun    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

:: ‘família’

“Covarde”: homem se entrega após fazer família refém ; ele foi hostilizado por populares

 

Foto: Blitz Conquista

Foto: Blitz Conquista

Cássio Oliveira Góes manteve sua ex-esposa e filhas, de 4 e 14 anos, reféns por mais de duas horas, na tarde dessa quarta-feira (15), no interior da casa da família, localizada na Av. Alagoas, bairro Santa Helena, zona oeste de Vitória da Conquista.

A polícia foi chamada por vizinhos que ouviram gritos das vítimas. Minutos depois da chegada dor primeiros policiais, as filhas foram libertadas. A mais velha apresentava um corte no braço. Ao tentar defender sua mãe a garota entrou em luta corporal com o pai.

Mais de duas horas depois do início do cárcere, a refém aproveitou de um descuido do ex-marido e pulou a janela do primeiro andar. :: LEIA MAIS »

Quando a Tristeza Supera a Alegria de Viver

Prof. Dr. Reginaldo de Souza Silva*

professor REGINALDOVivemos em um mundo globalizado que, em um segundo temos acesso a quase tudo que está acontecendo. Assistimos catástrofes, novas descobertas, ilusões e desilusões que permitem e/ou contribuem para a tristeza e a alegria. Com tanta tecnologia, muitas vezes somos incapazes de enxergar a tristeza do outro, mesmo daqueles que estão próximos (familiares, amigos, colegas de trabalho e de vida).

A tristeza pode ser o resultado de uma perda dolorosa, uma grande decepção, pelo desrespeito, por sentimentos que provocam a dor, às vezes difícil de suportar.

Mas quando a alegria dá lugar a tristeza ou é invadida por ela, nosso coração e nossa vida, ficam tão pequenos, que nos colocamos a refletir. Afinal o que é mesmo a vida? Vivemos para quê e para quem? Ò tristeza, quando e como de mim se apoderou?

Às vezes descobrimos tardiamente as várias concepções de amor e amizade. Aquelas que dão sentido a vida, que nos tornam mais fortes, àquelas descartáveis e momentâneas. Construímos família, laços de partilha e solidariedade, mas às vezes a tristeza torna-se tão grande que não permite a presença da alegria, da esperança, da convivência mutua.

:: LEIA MAIS »

Os Depressivos do Natal

 

Psicólogo Flávio Melo Ribeiro

Natal Flávio Melo Ribeiro (1)O Natal movimenta toda a sociedade: o comércio aumenta, as viagens se intensificam, as confraternizações de fim de ano se misturam e principalmente as famílias se reúnem. Sem dúvida o Natal se caracteriza por comemorar o nascimento de Cristo no seio familiar e essa reunião faz pessoas viajarem centenas de quilômetros para se encontrar. Porém, nem todos os membros familiares mantêm laços fraternos entre si.

Algumas famílias transpiram alegria ao se reunirem, mas reúnem desafetos que não se falam durante o ano. Para uma minoria, mas nem por isso raro, a expectativa de voltar a falar com quem não gostam chega a gerar depressão. A estes denomino “depressivos do Natal”.

Como é sabido, a depressão tem como sua maior característica a perda do futuro e a consequente falta de vontade. Nos depressivos do Natal, o gatilho que dispara o processo é a antecipação do desagrado que sentirá ao se reunir com familiares que não gostaria nem de encontrar. Começa a imaginar as cenas que passará, chega a “escutar” os comentários que considera chatos e desagradáveis. Aqui não se enquadram as pessoas que apenas ficam chateadas de encontrar algum parente que não se dá bem, mas as que entram num processo depressivo. Às vezes, ficam tão abatidas que não conseguem ir às festas natalinas, ou, quando vão, fica nítido o estado depressivo em que se encontram. Geralmente mobilizam os parentes mais próximos que se preocupam e de alguma forma procuram atender algumas necessidades básicas. :: LEIA MAIS »

Quatro pessoas da mesma família são assassinadas em chacina

Foto: G1

Foto: G1

Uma chacina em um sítio no bairro de Guaxuma, em Maceió, neste domingo (8), resultou na morte de quatro pessoas da mesma família. De acordo com a Polícia Militar, o caseiro do sítio, a esposa dele e dois filhos, um menino de 2 anos e uma menina de 9 anos, foram mortos. Um outro filho do casal, um menino de 5 anos, sobreviveu.

O Batalhão de Polícia de Eventos (BPE) foi acionado ao local. As vítimas foram identificadas como Esvaldo da Silva Santos, 22 anos, Genilza Oliveira da Paes, 27 anos, e as crianças Maria Eduarda, e Guilherme. A PM informou que ouviu no local algumas pessoas, mas ninguém foi preso até a última atualização desta notícia.
:: LEIA MAIS »

Acidente na BR-116 mata 4 pessoas da mesma família

vozUma batida envolvendo um carro de passeio e um caminhão cegonha matou quatro pessoas de uma mesma família, no Km 517 da BR-116, próximo ao município de Itatim, a cerca de 200 quilômetros de Salvador. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente ocorreu por volta das 9h e os corpos das vítimas foram encaminhados para o Departamento de Polícia Técnica (DPT), do município de Itaberaba.

Procurados pelo G1, agentes da Delegacia de Itaberaba relataram que os corpos chegaram ao município por volta das 17h. As vítimas, segundo a unidade, seguiam para um enterro na cidade de Santa Terezinha. A PRF afirma que todos os mortos estavam no carro de passeio.

Segundo a delegacia de Itaberaba, um dos ocupantes do carro era filho do homem que estava sendo sepultado em Santa Terezinha. Os demais eram uma mulher acompanhada da filha e do enteado.
:: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia